Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ANÁLISE: Semana pode ser mais positiva

Data de criação:

access_time 13/01/2020 - 10:09

Data de atualização:

access_time 13/01/2020 - 10:09
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Uma semana inteira de quedas na Bovespa no período anterior, incorporando seis pregões seguidos de desvalorização. Na semana, a Bovespa perdeu 1,87%, e no ano já mostra queda de 0,12%. Enquanto isso, o Dow Jones registra alta de 0,66% e o Nasdaq com +1,75%, fazendo, inclusive, novos recordes históricos de pontuação.

Isso mesmo com toda a crise geopolítica instalada no oriente Médio. Aqui fez preço para os ativos a produção industrial em nova contração e interrompendo três meses de expansão, junto coma ausência de notícias. Os Três Poderes estão em férias coletivas e pouco acontece por aqui.

A semana começa felizmente com algum alívio, com a Guarda Revolucionária do Irã admitindo o erro e responsabilidade de ter abatido com mísseis o avião da Ucrânia. Já a França, a Alemanha e o Reino Unido defendem a manutenção do acordo nuclear com o Irã, contrariamente ao que desejava Trump, e dizem ser essencial que o Irã retorne ao acordo que disse abandonar.

Nos EUA, Trump advertiu o Irã para que não vá contra a população (com matança) por conta das manifestações que ocorrem por lá. A semana também começa com a expectativa de assinatura do acordo de comércio bilateral entre os EUA, a China e a expectativa de encontros semestrais entre os dois países para ajustar posições.

Angela Merkel da Alemanha, se encontra hoje com Putin da Rússia para conversar sobre o Irã e a França admite negociar a idade mínima para aposentadoria, aliviando tensões internas. Já o BOE (Banco Central Inglês) admite cortar juros e a libra mostra queda nesse início de manhã. Ainda no Reino Unido, a produção industrial de novembro caiu 1,2% e o saldo da balança comercial mostrou déficit de 5,3 bilhões de libras, quando o previsto era 11,9 bilhões de libras.

O IIF (Institute of International Finance) disse que o mercado global de dívida está próximo de atingir US$ 120 trilhões, com os emergentes responsáveis por 25% desse total, o que certamente é muito elevado. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava estabilidade com o barril cotado a US$ 59,04, O euro era transacionado também próximo da estabilidade em US$ 1,112 e notes americanos de 10 anos com taxa de 1,84%, em alta.

Aqui, a Fipe anunciou o IPC da primeira quadrissemana de janeiro em desaceleração para 0,78%, de anterior em 0,94%. Já a pesquisa Focus, começa a mostrar os dados da semana, com a inflação de 2020 caindo para 3,58% (anterior em 3,60%), taxa Selic igual em 4,50%e em 2021 em 6,5%. O PIB projetado de 2020 mantido em +2,30% e 2021 em 2,50%. O dólar de final de ano caindo para R$ 4,04 (anterior em R$ 4,09), e superávit comercial de 2020 em queda para US$ 37,31 bilhões, de anterior em US$ 38,20.

Na agenda do dia, nenhum indicador com capacidade de mexer com os mercados, mas amanhã teremos a inflação americana pelo CPI (consumidor e a semana embute também o PIB da China. Com isso, mercados permanecem positivos no exterior, acreditamos que a Bovespa tem espaço para recuperação, com dólar um pouco mais forte e juros em leve alta.

*Alvaro Bandeira é economista-chefe e sócio do modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?