Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Atrito entre China e EUA com fechamento do Consulado pesa nos mercados da Ásia

Data de criação:

access_time 22/07/2020 - 10:59

Data de atualização:

access_time 22/07/2020 - 10:59
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados asiáticos recuaram nesta quarta-feira. O que se viu foi o aumento da tensão entre os Estados Unidos e a China, com o fechamento do consulado em Houston. O avanço dos casos de coronavírus na Austrália também mexeu com o humor do investidor.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 2,25% aos 25.057. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,37% aos 3.333. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,84% a 2.251. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,58% aos 22.751. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,33% aos 2.594. O índice Kospi, Seul, ficou estável 2.228. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,16% os 37.871. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,61% aos 12.473. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 1,32% aos 6.075.

O dia prometia ser de alta nos mercados asiáticos, mas os resultados foram negativos com o aumento novamente da tensão geopolítica.  A China voltou a acusar os Estados Unidos pelo fechamento de seu consulado em Houston sem motivos aparentes e o governo chinês citou que se a situação não for revertida irá reagir.

Para piorar, a China está considerando retaliar as operações chinesas de dois fabricantes europeus de equipamentos de telecomunicações se a União Europeia seguir os Estados Unidos para impedir a atuação da Huawei Technologies, que é destaque de redes 5G, informou o Wall Street Journal.

Já na Austrália, as autoridades anunciaram um aumento acentuado nos casos de coronavírus no estado de Victoria, a segunda maior cidade do país, e em Melbourne, com o número crescente de casos chegando às centenas diariamente.

Sobre a agenda, nesta quarta-feira, o Japão apresentou as prévias dos índices Gerentes de Compras – PMIs.

No Japão, a prévia do índice PMI Composto de Saída está em 43,9 pontos para julho, alta em relação ao mês anterior, 40,8 pontos.

A prévia do índice PMI da Atividade de Serviços está em 45,2 pontos para julho, ante os 45,0 pontos ao final de junho.

A prévia do índice PMI de Manufatura de Saída está em 41,2 pontos em julho, superior aos 32,3 pontos ao final de junho. Os dados são do Jibun Bank.

Na Austrália, a taxa de crescimento anualizada de seis meses no Westpac-Melbourne Institute Leading Index, que indica o provável ritmo da atividade econômica em relação à tendência de três a nove meses no futuro, passou de –5,29% em maio para –4,44% em junho. Apesar da melhora modesta neste mês, a taxa de crescimento do Índice permanece em território negativo e com a recessão.

A flexibilização das restrições sociais permitiu um aumento na atividade em junho. Isso é melhor capturado pelo aumento da contribuição para a taxa de crescimento em junho da produção industrial dos Estados Unidos (com 1,1 pontos) e das horas trabalhadas (com 0,6 pontos).

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?