Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas asiáticas derretem com a declaração da OMS sobre a COVID-19

Data de criação:

access_time 12/03/2020 - 09:55

Data de atualização:

access_time 12/03/2020 - 09:55
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de valores da Ásia derreteram nesta quinta-feira, como era esperado depois de derrocada dos demais mercados acionários nas negociações de ontem. O anúncio da Organização Mundial da Saúde – OMS, de que o surto de coronavírus passou para pandemia, sacudiu todos os índices e promoveu uma das maiores liquidações dos últimos 12 anos.

Ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em queda de 3,66% a 24.309 e o índice Shenzhen Composite ficou em queda de 2,20% a 1.818. O índice Xangai ficou em queda de 1,52% a 2.923. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 3,77% a 2.678. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 4,41% aos 18.559. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 7,36% a 5.304. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 3,87% a 1.834. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 8,18% os 32.778. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 4,33% aos 10.422.

No Japão, o primeiro-ministro Shinzo Abe se reuniu com o presidente do banco central, que prometeu toda ajuda para apoiar a economia, que contraiu 7,1% em termos anuais no último trimestre, antes mesmo do surto do vírus.

Haruhiko Kuroda, que é o presidente do BoJ, disse que a instituição “tomará as medidas apropriadas conforme necessário”.

Os investidores estão pedindo uma ação coordenada de governos e bancos centrais para conter a ameaça à economia do vírus. Embora as taxas de juros mais baixas e os gastos do governo não resolvam a crise – apenas a contenção do vírus pode -, elas podem apoiar a economia.

O anúncio do presidente Donald Trump de restrições de viagens para a maioria dos países europeus e um pacote de ajuda de vários bilhões de dólares que a Câmara poderia votar  hoje não conseguiram acalmar os ânimos.

No discurso pela TV, Trump foi enfático ao proibir todas as viagens da Europa. Mas disse que as restrições “fortes, mas necessárias” não se aplicariam ao Reino Unido, onde 460 casos do vírus já foram confirmados. Existem 1.135 casos confirmados do vírus nos Estados Unidos, com 38 mortes. “Para impedir que novos casos entrem em nossas costas, suspenderemos todas as viagens da Europa para os Estados Unidos pelos próximos 30 dias”, disse Trump. “As novas regras entrarão em vigor sexta-feira à meia-noite”, acrescentou.

No Japão, o Índice de Preços ao Produtor caiu 0,4% em relação ao mês anterior. O Índice de Preços de Exportação (base da moeda do contrato) aumentou 0,2% em relação ao mês anterior. O Índice de Preços de Importação (moeda do contrato) caiu 0,2% em relação ao mês anterior. Os dados são do Governo Japonês.

Tradução ID de agências internacionais e relatórios oficiais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?