Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas asiáticas ficam no azul esperando o PIB da China

Data de criação:

access_time 13/07/2020 - 10:06

Data de atualização:

access_time 13/07/2020 - 10:06
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados acionários da Ásia fecharam em campo positivo, com as projeções um pouco mais otimistas para a recuperação econômica global. A pandemia de coronavírus já dá sinais de queda, enquanto os investidores esperam pelo PIB da China.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 0,17% aos 25.772. O índice Xangai, China, ficou em alta de 1,77% aos 3.443. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 3,48% a 2.329. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 2,22% aos 22.784. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,81% aos 2.631. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 1,67% a 2.186. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,27% os 36.693. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 1,14% aos 12.211. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,98% aos 5.977%.

Os investidores aproveitaram o dia de agenda enfraquecida para comprar, enquanto isso aguardam os dados do PIB da China referente ao segundo trimestre previsto para esta terça-feira (14). Singapura também vai apresentar o indicador.

Além das reuniões de política do banco central no Japão e em outros lugares, a temporada de resultados financeiros das empresas já está entre os destaques.

Nesta sessão, as ações subiram também com as informações de que Pequim implementaria ferramentas de estímulo mais poderosas para combater o que chamou de desafios econômicos “sem precedentes”.

O relatório monetário trimestral do Banco Popular da China, que foi divulgado neste domingo, mostrou novas áreas de foco, porém, sem reafirmar os compromissos anteriores.

Ainda por lá, as vendas de automóveis caíram novamente em abril, mas as perdas foram menores. As vendas de SUVs, sedans e minivans caíram 2,6% em relação ao ano anterior, para 1,5 milhão, disse a Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis. A  melhora se deu em relação à contração de 48,4% de março e uma queda de quase 82% em fevereiro.

Sobre as relações entre a China e os Estados Unidos, notícias divulgadas nesta manhã informam que o governo chinês vai impor sanções para quatro autoridades dos Estados Unidos, incluindo os senadores republicanos Marco Rubio e Ted Cruz, num gesto simbólico de retaliação contra legislação americana que visa punir Pequim por conta da suposta violação dos direitos humanos na região de Xinjiang.

No Japão, o terceiro índice de atividade industrial ficou em  87,9 em maio, queda de 2,1% em relação ao mês anterior e também para os quatro meses consecutivos. No sentido amplo, os serviços pessoais caíram pelo quarto mês consecutivo ficando em 83,4 e queda de 0,6%. Os negócios do setor de serviços caíram para 91,7, queda de 3,9% a /a, abaixo por quatro meses consecutivos. No geral, a atividade da indústria terciária continuou em declínio. Os dados são do Governo do Japão.

Tradução ID de relatórios oficiais e com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?