Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas Asiáticas ficam no vermelho com a COVID-19 no destaque

Data de criação:

access_time 11/03/2020 - 09:53

Data de atualização:

access_time 11/03/2020 - 09:53
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de valores da Ásia fecharam no negativo nesta quarta-feira. Todas as atenções permanecem no coronavírus, apesar dos estímulos dos governos para eliminar a epidemia.

Ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em queda de 0,63% a 25.231 e o índice Shenzhen Composite ficou em queda de 1,48% a 1.859. O índice Xangai ficou em queda de 0,94% a 2.968. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,72% a 2.783. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 2,27% aos 19.416. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 3,60% a 5.725. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 2,78% a 1.908. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,18% os 35.697. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 1,00% aos 10.893.

O avanço da doença segue impedindo a retomada do setor industrial, os programas de gastos e estímulos colocam dinheiro nas mãos de famílias e empresas, enquanto especialistas em saúde tentam controlar o vírus. Isso poderia impedir ou pelo menos moderar uma possível recessão.

Já com atenção nos Estados Unidos, os investidores acompanharam as declarações do presidente Donald Trump de que seu governo pedia ao Congresso para cortar impostos sobre as folhas de pagamento e aprovar outras medidas rápidas que visam diminuir o impacto do coronavírus nos trabalhadores.

Depois de uma reunião com as principais seguradoras de saúde, Trump disse que o governo está trabalhando com a indústria de linhas de cruzeiros, uma das mais atingidas pelo vírus. Isso ajudou a elevar o mercado, que antes havia se deteriorado em meio às dúvidas de que o governo anunciaria algo em breve.

No Japão, uma força-tarefa criada pelo primeiro-ministro Shinzo Abe aprovou na terça-feira um pacote de 430 bilhões de ienes (US $ 4,1 bilhões) com apoio a pequenas e médias empresas. Outros governos da Ásia anunciaram bilhões de dólares em estímulos e outras medidas para ajudar a proteger suas próprias economias em dificuldades.

Conforme a Organização Mundial da Saúde, pessoas com doenças leves se recuperam em cerca de duas semanas, enquanto aquelas com doenças mais graves podem levar de três a seis semanas para se recuperar. Na China continental, onde o vírus explodiu pela primeira vez, mais de 80.000 pessoas foram diagnosticadas e mais de 58.000 já se recuperaram.

Em Tóquio, entre as ações com ganhos ficaram as da Tokyo Gas, alta de 3,51%, as da Osaka Gas, alta de 3,49%, as da Tokyo Electric Power, alta de 2,72%. Na contramão ficaram as ações da Taiyo Yuden, queda de 6,89%, as da M3 Inc, queda de 6,05%, as da Nippon Sheet Glass, queda de 4,75%.

Em Hong Kong, entre as ações com ganhos estavam as da China Overseas Land, alta de 2,52%, as da CLP Holdings, alta de 1,47%, as da Hong Kong & China Gas, alta de 0,92%. Na contramão ficaram as ações da CNOOC, queda de 5,86%, as da China Unicom, queda de 3,45%, as da Techtronica Industries, queda de 3,39%, e as Sunny Optcial Technology Group, queda de 2,49%.

A agenda local estava vazia para essa quarta-feira.

Tradução ID de agências internacionais e relatórios oficiais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?