Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas asiáticas mantiveram as perdas com COVID-19 no foco

Data de criação:

access_time 27/02/2020 - 09:21

Data de atualização:

access_time 27/02/2020 - 09:21
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de ações asiáticas caíram nesta quinta-feira, depois que o presidente Donald Trump anunciou que os Estados Unidos estavam intensificando seus esforços para combater o surto de vírus iniciado na China.

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em alta de 0,31% a 26.778 e o índice Shenzhen Composite ficou em queda de 0,24% a 1.895. O índice Xangai ficou em alta de 0,11% a 2.991. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,19% a 3.111. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 2,13% aos 21.948. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,75% a 6.657. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 1,05% a 2.054. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,36% aos 39.745. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 1,24% aos 11.292.

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump disse ontem que estava disposto a gastar “o que for apropriado” para combater o vírus, depois que o líder democrata do Senado, Chuck Schumer, de Nova York, sugeriu US $ 8,5 bilhões em vez dos US $ 2,5 bilhões solicitados. O presidente destacou o vice-presidente Mike Pence para comandar.

As autoridades de saúde, que também participaram da coletiva junto com Trump, alertaram que mais infecções estão ocorrendo. Prova disso, foi que logo depois da decisão de Trump os agentes de saúde anunciaram que outra pessoa nos Estados Unidos estava infectada. O caso foi registrado na Califórnia, que parece não ter os fatores de risco habituais, ou seja, ter viajado para o exterior ou exposto a outro paciente.

Os investidores estão transferindo mais dinheiro para títulos depois do surto. Os traders estão preocupados que a economia global possa desacelerar, enquanto a segunda maior economia do mundo luta para conter o surto.

No Japão, o governo voltou a reforçar o alerta depois que uma pessoa que já estava curada voltou a registrar a doença.

Em Tóquio, entre as ações com ganhos estavam as da FamilyMart, alta de 1,97%, as da Nippon Steel Corp., alta de 0,88%, e as da Kirin Holdings, alta de 1,91%. Na contramão ficaram as ações da Secom, queda de 0,11%, as da Toyo Seikan Group, queda de 0,22%, e as da Kubota Corp., queda de 0,32%.

Em Hong Kong, entre as ações com ganhos ficaram as da China Resources Land, alta de 3,45%, as da China Construction Bank, alta de 1,90%, as do Bank of China, alta de 1,61%, e as da CITIC, alta de 1,57%. Na contramão ficaram as ações da Sands China, queda de 1,60%, as da AAC Technologies Holdings, queda de 1,35%, e as da CNOOC, queda de 1,58%.

Na região não foram apresentados indicadores econômicos.

Tradução ID com relatórios oficiais e agências internacionais como a Associated Press

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?