Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Ásia fecham a semana em campo positivo

Data de criação:

access_time 19/06/2020 - 10:05

Data de atualização:

access_time 19/06/2020 - 10:05
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados de ações asiáticos recuperaram as perdas nesta sexta-feira, embora com as atenções para os resultados ruins de Wall Street na sessão de ontem. Entretanto, o otimismo ocorre com uma possível recuperação econômica global, mas sem perder as preocupações com o aumento das infecções por coronavírus.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 0,73% aos 24.643. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,96% aos 2.967. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,19% aos 1.931. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,55% aos 22.478. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,16% aos 2.634. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,37% a 2.141. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 1,53% os 34.731. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou estável aos 11.549. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,10% aos 5.942%.

Os investidores seguiram buscando reparação das perdas recentes, quando o coronavírus passou a atingir diversos países. Em parte, segundo analistas, os negócios estão avançando e a recuperação já dá sinais positivos. Essa crise sanitária é a maior depois da econômica na década de 1930, com o avanço no número de infectados nos Estados Unidos e no Brasil.

Já as relações entre a China e os Estados Unidos voltaram para o radar, segundo a Reuters. O presidente Donald Trump renovou a ameaça de cortar laços com a China, um dia depois do representante comercial do país, Robert Lighthizer, dizer ao Congresso que não via a dissociação das economias norte-americana e chinesa como uma opção viável.

“Não foi culpa do embaixador Lighthizer, nisso eu talvez não tenha sido claro, mas os EUA certamente mantêm uma opção de diretriz política, sob várias condições, de uma total dissociação da China”, disse Trump no Twitter.

O clima entre as duas potências vem esquentando, com Trump sempre que pode acusando a China de não ter sido prudente na disseminação do vírus. Lembrando que as duas nações conseguiram resolver um impasse comercial somente em janeiro desse ano, isso depois de 17 meses de discussões.

No Japão, de acordo com os dados mais recentes publicados pelo Departamento de Estatísticas, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,1% a /a em maio contra + 0,1% esperado e alta de 0,1% visto em abril. Os principais preços ao consumidor do Japão (ex-alimentos frescos), um indicador importante da inflação em todo o país, caíram 0,2% em maio em relação ao ano anterior, perdendo as expectativas da queda de 0,1%. Enquanto isso, o núcleo da inflação no país (ex-alimentos e energia) acelerou 0,4% a/a em maio, contra a alta de 0,2% esperada e alta de 0,2% na última. O iene continuou perdendo terreno nos dados mistos da inflação, com o USD / JPY recuperando 107,00 antes da apresentação da Ata do BoJ.

Na Austrália, o volume de negócios do varejo subiu 16,3% em maio de 2020, ajustado sazonalmente, de acordo com dados preliminares do comércio varejista divulgados hoje pelo Departamento de Análises Econômicas (ABS). Esse é o maior aumento sazonalmente ajustado já publicado nos 38 anos da pesquisa do comércio varejista, depois da maior queda sazonal já ajustada de 17,7% em abril de 2020. O volume de negócios aumentou 5,3% em relação a maio de 2019.

Tradução ID de relatórios oficiais e com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?