Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Ásia ficam sem direção com China no foco

Data de criação:

access_time 23/03/2021 - 09:34

Data de atualização:

access_time 23/03/2021 - 09:34
format_align_left 1 minuto de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Na Ásia, as principais bolsas da região fecharam sem direção única nesta terça-feira (23). O movimento de hoje pode ser destacado com dois pontos: o avanço da pandemia no mundo e os temores para com as decisões dos bancos centrais. Na China, as sanções impostas por alguns países pesaram no lado negativo.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em queda de 1,36% aos 28.497 pontos. O índice Xangai, China, ficou em queda de 0,93% aos 3.411 pontos. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,13% a 2.197 pontos e o ChiNext (ETF) ficou em queda de 1,14%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,61% aos 28.995 pontos. O índice Topix caiu 0,94% aos 1.971 pontos. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,12% aos 3.131 pontos. O índice Sensex, bolsa de Mombai, ficou em alta de 0,56% aos 50.051 pontos. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,11% aos 6.745. O índice Kospi, bolsa de Seul, ficou em queda de 1,01% aos 3.004. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,07% aos 16.177 pontos. O índice regional MSCI Asia Pacific caiu -0,7%.

Na China, os mercados recuaram com as sanções impostas por alguns países. Por outro lado, é crescente o temor de um aperto da política monetário.

Os Estados Unidos, a União Europeia, a Grã-Bretanha e o Canadá impuseram sanções às autoridades chinesas nesta segunda-feira (22/03) alegando abusos dos direitos humanos em Xinjiang, minoria uigur. Pequim respondeu medidas restritivas contra a UE.

No Japão, a bolsa de Tóquio caiu na carona com o mercado chinês.

A agenda local estava vazia.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios oficiais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?