Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa devolvem com PMIs e coronavírus

Data de criação:

access_time 06/05/2020 - 15:42

Data de atualização:

access_time 06/05/2020 - 15:43
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas da Europa voltaram para campo negativo nesta quarta-feira, com os investidores avaliando a temporada de resultados financeiros e os indicadores negativos apresentados para as economias da região. A doença COVID-19 segue castigando a Europa, com o número de mortos no Reino Unido superando os da Itália.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,35% aos 334.34 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou estável aos 5.853 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) caiu 1,15% a 10.606 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em queda de 1,11% a 4.433 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda 1,31% aos 17.159 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 1,13% a 6.671 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,87% a 4.185 pontos.

De outro lado, as negociações comerciais entre os Estados Unidos e a Grã-Bretanha começaram nesta terça-feira, com o objetivo de alcançar um “ambicioso acordo de livre comércio”. As conversas ocorrem com o país fora da União Europeia, o que permite a liberdade para negociar acordos comerciais com as demais economias ao redor do mundo.

O representante comercial norte-americano, Robert Lighthizer, e a secretária de Comércio Internacional, Liz Truss, do Reino Unido iniciaram negociações por videoconferência, com o acordo entre os dois países de US $ 235 bilhões por ano. O Reino Unido e os Estados Unidos são os maiores investidores nas economias um do outro, com investimentos mútuos avaliados em até US $ 1 trilhão.

Essa primeira rodada de negociações deverá durar duas semanas e envolvendo cerca de 100 negociadores de cada lado. Estão em discussão as áreas que incluem comércio de bens e serviços, comércio digital, investimento e apoio a pequenas empresas.

De volta aos mercados, as ações da BMW caíram 5%, depois que a montadora alemã disse que espera lucros menores em 2020. O maior impacto será no segundo trimestre, com as consequências da pandemia do coronavírus.

No Reino Unido, o número de contaminados pelo coronavírus chega a 202.355, com 30.150 mortos e apenas 926 pessoas curadas. Em termos de comparação, a Itália está com 214.457 pessoas contaminadas, com 29.664 mortes e 93.245 pessoas recuperadas.
No mundo são 3.711.425 pessoas contaminadas, com 260.487 mortes e 1.225.552 pessoas recuperadas. As informações são da Universidade Johns Hopckins.

As ações da Royal Dutch Shell Group caíram 4%, com os preços do petróleo recuando novamente e com os dados dos estoques dos Estados Unidos.

Na Europa, em março de 2020, as medidas de contenção COVID-19 amplamente adotadas pelos Estados-Membros tiveram um impacto significativo no comércio varejista, uma vez que o volume sazonalmente ajustado caiu 11,2% na Zona do Euro e 10,4% na União Europeia, em comparação com fevereiro 2020, segundo estimativas do Eurostat, o escritório de estatística da União Europeia.

Em fevereiro de 2020, o volume do comércio varejista aumentou 0,6% na EA19 e 0,5% na UE27. Em março de 2020, em comparação com março de 2019, o índice de vendas no varejo, ajustado ao calendário, caiu 9,2% na Zona do Euro e 8,2% na União Europeia.

Na Europa, a pandemia da COVID-19 seguiu pesando no desempenho econômico da Zona do Euro em abril. O índice de Composto de Saída, com ajuste, caiu para 13,6 em abril, abaixo do recorde anterior de março de 29,7.

Tradução ID com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?