Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa fecham divididas entre perdas e a estabilidade

Data de criação:

access_time 07/02/2020 - 16:17

Data de atualização:

access_time 07/02/2020 - 16:17
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os investidores europeus recuaram nas compras desta sexta-feira. Em dia de agenda cheia para a região, as atenções permaneceram no coronavírus. Além disso, os números da produção industrial da Alemanha voltaram a preocupar, mas no contraponto os dados do Payroll dos Estados Unidos surpreenderam.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,27% aos 424.36 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em queda de 0,51% aos 7.466; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 0,45% a 13.513; o CAC 40 (Paris) ficou em queda de 0,14% a 6.029; o FTSE-MIB (Milão) ficou estável aos 24.478; o Ibex 35 (Madri) ficou estável a 9.811; e o PSI-20 (Lisboa) ficou estável a 5.289.

A produção industrial da Alemanha ficou muito pior do que o esperado, com uma queda de 3,5% em dezembro, contra as expectativas de um aumento de 0,1%, um ponto de preocupação com a mais importante economia da Europa.

Já sobre o coronavírus, a morte no final de quinta-feira de um médico chinês que soou o alarme sobre a epidemia na China levou de volta ao fato de que o país ainda está lutando para controlar a disseminação. O número de infectados globalmente aumentou para 31 mil e o número de mortos na China chegou a 636. Foi assim que o Japão registrou 61 novos casos do vírus em um navio de cruzeiro com mais de 3 mil pessoas em quarentena.

Entre as ações com ganhos em Frankfurt ficaram as do Deutsche Bank, alta de 2,14%, as da RWE AG, alta de 0,87%, e as da Vonovia SE, alta de 0,46%. Na contramão ficaram as da Adidas, queda de 0,17%, as da Linde PLC, queda de 0,20%, e as da Daimler AG, queda de 2,70%.

Na Alemanha, em dezembro de 2019, a produção industrial recuou 3,5% em relação ao mês anterior, com base em preços, com ajuste sazonal e calendário, de acordo com dados provisórios do Departamento Federal de Estatística (Destatis).

Em novembro de 2019, o número corrigido mostra um aumento de 1,2% (primário + 1,1%) em relação a outubro de 2019.Em dezembro de 2019, a produção na indústria, excluindo energia e construção, caiu 2,9%. Na indústria, a produção de bens de capital diminuiu 3,5% e a produção de bens de consumo, 2,0%. A produção de bens intermediários apresentou queda de 2,6%.

Na Alemanha, em 2019, as exportações e importações alemãs excederam os recordes anteriores de 2018. No entanto, o crescimento do comércio exterior diminuiu em comparação com os anos anteriores. Em 2019, a Alemanha exportou mercadorias no valor de € 1.327,6 bilhão e importou no valor de € 1.104,1 bilhão.

Com base em dados provisórios, o Departamento Federal de Estatística (Destatis) também informa que as exportações aumentaram 0,8% em relação a 2018. As importações aumentaram 1,4%. Em 2018, as exportações aumentaram 3,0% e as importações 5,6% em comparação com o ano anterior. Em 2017, as exportações foram de 6,2% e as importações 8,0% maiores que no ano anterior.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?