Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa ficam no azul com empresas

Data de criação:

access_time 26/01/2021 - 14:17

Data de atualização:

access_time 26/01/2021 - 14:17
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices das principais bolsas da Europa mantiveram os ganhos nesta terça-feira (26). Os investidores estão acompanhando os desempenhos dos demais mercados, a temporada de resultados financeiros e a política dos Estados Unidos. A vacinação prossegue na Europa, embora com algumas farmacêuticas encontrando dificuldades para atender a demanda global da vacina contra a Covid-19.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,73% aos 408.07 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,32% aos 6.660 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 1,82% aos 13.892 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 1,16% aos 5.535 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 1,27% aos 22.012 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 0,92% aos 7.970 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 1,32% a 4.896 pontos.

Nesta sessão, as ações do setor privado ficaram entre os maiores ganhos. A produtora de gás industrial Linde viu as ações disparando 3,7%, depois que anunciou aumento no valor do dividendo trimestral e um programa de recompra de ações de US $ 5 bilhões.

As ações do UBS subiram para 2,5%, depois que o gigante viu o número de clientes subindo. O maior gestor de fortunas do mundo registrou o aumento de 137% no lucro líquido.

O índice pan-europeu voltou para o azul, depois de uma queda forte nesta segunda-feira, com os índices mostrando um quadro sombrio para a economia europeia em janeiro. O resultado deverá ser ainda mais impactado pelas medidas de combate às novas variantes do coronavírus.

A bolsa de Milão sustentou a alta com o primeiro-ministro Giuseppe Conte renunciando e na esperança de que o presidente Sergio Mattarella lhe dê um novo mandato para formar um novo governo com apoio mais amplo no parlamento. Caso isso não ocorra, os italianos voltarão para as urnas eleitorais novamente.

Entre as ações com ganhos na bolsa de Paris ficaram as da Renault, alta de 3,25%, as da Atos, alta de 3,20%, as da Air Liquide, alta de 2,70%, e as da Kering, alta de 2,38%. Na contramão ficaram as ações da Alstom, queda de 1,13%, as do Carrefour, queda de 1,08%, e as da Sanofi, queda de 0,53%.

No Reino Unido, desde fevereiro de 2020, o número de funcionários da folha de pagamento caiu em 828 mil, no entanto, as quedas maiores foram observadas no início da pandemia de coronavírus (COVID-19).

A taxa de desemprego do Reino Unido subiu menos do que os economistas esperavam nos três meses até novembro. A taxa subiu para 5% no período, abaixo dos 5,1% previstos pelos economistas, mas ainda a maior desde 2016, informou nesta terça-feira o Escritório Nacional de Estatísticas. O número de pessoas trabalhando caiu menos do que o esperado, 88 mil.

No Reino Unido, os volumes de vendas no varejo caíram no ano até janeiro, tendo ficado praticamente estáveis em dezembro, de acordo com a última Pesquisa CBI Distributive Trades Survey mensal. A pesquisa com 133 empresas, incluindo 66 varejistas, esteve em campo entre 22 de dezembro e 14 de janeiro, um período em que as restrições no Reino Unido se estreitaram gradualmente, com todo o país em um bloqueio total em 5 de janeiro.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?