Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa ficam no azul e Reino Unido amplia pacote emergencial

Data de criação:

access_time 03/03/2021 - 16:33

Data de atualização:

access_time 03/03/2021 - 16:33
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de valores da Europa ficaram com ganhos ​nesta quarta-feira (03/03), com as ações dos setores mais sensíveis à economia. Os dados econômicos apresentados hoje para a Zona do Euro, bem como o processo de vacinação nos países do bloco também ficaram no foco. No Reino Unido, o governo anunciou a injeção de £ 400 bilhões na economia para reparar os efeitos deixados pela pandemia.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 fechou estável aos 413.42 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,93% aos 6.675 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,29% aos 14.080 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,35% aos 5.830 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,16% aos 23.046 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda 0,32% aos 8.329 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 2,11% a 4.673 pontos.

O índice pan-europeu ficou estável, depois dos ganhos na abertura. Entre os destaques ficaram as ações das montadores e viagens.

Hoje, o ministro das finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, anunciou a extensão do programa emergencial para apoiar a economia com a injeção de £ 400 bilhões.

Sunak disse também que o Reino Unido revisaria uma sobretaxa de impostos nos lucros dos bancos para torná-los mais competitivos em relação aos rivais estrangeiros. A medida seria para recompor os cofres públicos com o rombo deixado pelos gastos elevados com a pandemia de coronavírus.

Por outro lado, os rendimentos dos títulos europeus subiram, depois que as expectativas de inflação de longo prazo para a Zona do Euro atingiram os níveis mais altos desde maio de 2019, escreveu a Reuters.

Sobre os indicadores, as vacinas contra a Covid-19 ajudaram a amparar os índices dos Gerentes de Compras Composto na pesquisa da IHS Markit.

Na Zona do Euro, a economia do setor privado experimentou queda modesta na produção durante fevereiro, embora um aumento no Índice Composto – PMI, sazonalmente ajustado, apontasse para uma taxa mais lenta de contração. O índice postou 48,8 em fevereiro, acima dos 47,8 de janeiro e também acima da leitura de flash anterior. Os dados são do IHS Markit.

O índice PMI da Atividade de Negócios de Serviços permaneceu abaixo da marca de 50,0 para sinalizar uma 6ª redução mensal consecutiva. O índice mudou pouco desde 45,4 em janeiro, registrando 45,7 em fevereiro.

Mais informações aqui

*Por Ivonéte Dainese com Reuters e relatórios

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?