Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa ganham força com bancos centrais

Data de criação:

access_time 18/03/2021 - 16:22

Data de atualização:

access_time 18/03/2021 - 16:22
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices principais das bolsas europeias fecharam em campo positivo nesta quinta-feira (18/03), com os investidores digerindo a decisão do Federal Reserve. O Banco Central da Inglaterra também manteve as taxas de juros inalteradas.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,40% aos 426.59 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,25% aos 6.779 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 1,23% aos 14.775 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 01,3% aos 6.062 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,33% aos 24.360 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 0,29% aos 8.624 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,41% a 4.789 pontos.

O índice pan-europeu subiu moderadamente com as ações de utilidades, produtos químicos, alimentos e bebidas.

A postura política do Federal Reserve também era muito aguardada, principalmente, depois da recente alta nos rendimentos dos títulos do Tesouro alimentando as preocupações dos investidores sobre o aumento da inflação.

O presidente do Fed, Jerome Powell, em coletiva de imprensa, acalmou o mercado, deixou algumas respostas no ar, considerou o crescimento econômico ainda esse ano e também uma queda na taxa de desemprego. O tema alta de inflação também foi levantando, mas o Powell disse que o banco central está vigilante e considera que esse movimento é de curto prazo. Entretanto, hoje, as ações estão de lado na bolsa de Nova York com o rendimento da nota de 10 anos do Tesouro avançando.

Na Europa, setores economicamente sensíveis, como montadoras, bancos, seguradoras e mineradoras lideraram os ganhos. Na bolsa da Espanha, por exemplo, as ações dos bancos dispararam. As ações do Bankia ganharam 3,72%, as do CaixaBank subiram 3,11%, as do Banco de Sabadell valorizaram em 2,89%, as Santander avançaram 2,02% e as do Bilbao Vizcaya Argentaria ficaram em 1,95%.

Na bolsa de Londres, o FTSE 100 reverteu as quedas recentes depois que o Banco  Central da Inglaterra disse que a recuperação econômica da Grã-Bretanha estava ganhando ritmo e deixou as taxas de juros inalteradas.

Sobre a pandemia, Portugal registrou seus melhores dados em relação a disponibilidade de leitos em UTI nos últimos cinco meses, com 187 pacientes atendidos, enquanto mantém estáveis seus indicadores de novos casos e óbitos diários por Covid-19.

Na Europa, em janeiro, a primeira estimativa para as exportações de bens da Zona do Euro para o resto do mundo era de €163,1 bilhões, queda de 11,4% em comparação com janeiro de 2020 (€ 184,0 bilhões).

As importações do resto do mundo cifraram-se em € 156,8 bilhões, queda de 14,1% face a janeiro de 2020 (€ 182,5 bilhões).

Como resultado, a Zona do Euro registrou um superávit de € 6,3 bilhões no comércio de bens com o resto do mundo em janeiro de 2021, em comparação com a alta de €1,5 bilhão em janeiro de 2020.

O comércio intra-área do euro caiu para €159,7 bilhões em janeiro de 2021, queda de 3,9% em comparação com janeiro de 2020. Os dados são do Eurostat.

*Por Ivonéte Dainese com agências internacionais e relatórios

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?