Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa recuam com empresas de turismo

Data de criação:

access_time 27/07/2020 - 15:34

Data de atualização:

access_time 27/07/2020 - 15:34
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de valores europeias mantiveram as perdas nesta segunda-feira, na sequência da cautela com a pandemia de coronavírus e, ao mesmo tempo, com as atenções nas valorizações de demais ativos, como o ouro e a prata. O Reino Unido anunciou hoje a quarentena para todos os viajantes vindos da Espanha. Os espanhóis estão enfrentando nova onda de coronavírus.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,31% aos 366.15 pontos em Londres; o índice FTSE100, bolsa de Londres, ficou em queda de 0,31% aos 6.104 pontos; o índice DAX30, bolsa de Frankfurt, ficou estável aos 12.838 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em queda de 0,34% aos 4.939 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,28% aos 20.019 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 1,70% a 7.170 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,89% a 4.452 pontos.

Nesta sessão, as ações das companhias de viagens também ficaram para baixo, com o Reino Unido voltando com a quarentena para os viajantes que estão retornando da Espanha.  A quarentena imposta aos visitantes espanhóis poderá ser levantada apenas para aqueles que chegam das Ilhas Canárias ou das Baleares, regiões que sofreram menos com o vírus, informou o The Sun. Porém, a medida ainda precisará ser assinada pelo primeiro-ministro do Reino Unido Boris Johnson.

As ações da International Airlines Group caíram 5,86%, as da Ryanair recuaram 3,85% e as da easyJet perderam 7,94%. As ações da empresa de turismo TUI derreteram 11,36%, e a fabricante de motores Rolls-Royce perdendo 3,02%.

Na Europa, a taxa de crescimento anual do agregado monetário amplo (M3) aumentou para 8,2% em junho de 2020, de 8,9% em maio, com média de 8,8% nos três meses até junho.

Os componentes do M3 mostraram os seguintes desenvolvimentos:

A taxa de crescimento anual do agregado mais restrito M1, que inclui moedas em circulação e depósitos overnight, atingiu 12,6% em junho, ante 12,5% em maio.

A taxa de crescimento anual dos depósitos de curto prazo, exceto o overnight (M2-M1), ficou em 0,7% em junho, inalterada em relação ao mês anterior.

A taxa de crescimento anual dos instrumentos negociáveis (M3-M2) aumentou para 5,7% em junho, para 10,1% em junho. Os dados são do Banco Central Europeu.

Na Alemanha, o indicador das perspectivas de negócios aumentou em julho pelo terceiro mês consecutivo. A atividade econômica subiu depois que muitas das restrições de coronoavírus foram atenuadas ou suspensas.

O índice do instituto Ifo subiu para 86,5 pontos, ante 86,3 pontos em junho, informou a organização sediada em Munique nesta segunda-feira. “A economia alemã está se recuperando passo a passo”, disse o chefe da Ifo, Clemens Fuest, em comunicado. A pesquisa Ifo é baseada em entrevistas com executivos de negócios da economia alemã, a maior da Europa.

*Por Ivonéte Dainese de relatórios oficiais e com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?