Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa recuperam ganhos com ações dos bancos

Data de criação:

access_time 08/03/2021 - 15:18

Data de atualização:

access_time 08/03/2021 - 15:18
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados acionários da Europa encerraram no azul nesta segunda-feira (08/03). Os indicadores econômicos da China e da Alemanha ficaram entre os destaques do dia. O pacote emergencial dos Estados Unidos de US$1,9 trilhão ajudou.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 2,10% aos 417.25 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta 1,34% aos 6.719 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 3,31% aos 14.380 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 2,08% aos 5.902 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 3,12% aos 23.681 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta 1,90% aos 8.444 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,35% a 4.688 pontos.

O índice pan-europeu subiu com as ações dos bancos. O setor vem apostando na recuperação, bem como outros ligados diretamente à economia. O índice do setor bancário subiu 3,7%.

Na mesma de linha de ganhos ficaram as ações das montadoras e seguradoras. Hoje, a buscas pelos títulos caiu, o que acabou alimentando o humor do investidor para as ações.

No Reino Unido, conforme anunciou na semana passada, o primeiro-ministro Boris Johnson liberou nesta segunda-feira a abertura de escolas. Essa seria a etapa inicial da volta à normalidade, que deverá ser concluída em junho. O país foi o pioneiro no processo de vacinação e vem registrando quedas nos casos de infectados e também de mortes.

Por fim, na sexta-feira (05), a União Europeia e os Estados Unidos concordaram em suspender as tarifas impostas a bilhões de dólares de importações em uma disputa de 16 anos sobre subsídios a aeronaves, disse a Reuters.

Na Chinas, as exportações subiram nos primeiros dois meses do ano, com números distorcidos pela base baixa em 2020, quando a economia estava travada.

As exportações saltaram 60,6% em termos de dólares no período de janeiro a fevereiro em relação ao ano anterior, dados da administração alfandegária mostraram no domingo. No mesmo período do ano passado, exportações caíram 17,4%.

As importações subiram 22,2% nos dois primeiros meses do ano em relação ao ano anterior, ante um ganho de 16% previsto na pesquisa. Superávit comercial atingiu US $ 103,25 bilhões no período.

Ainda no fim de semana, os Senadores americanos aprovaram o pacote de US$1,9 trilhão de ajuda. Os investidores europeus também ficaram animados com a decisão.

Nesta sessão, entre as ações com ganhos na bolsa de Frankfurt ficaram as do Deutsche Post, alta de 6,48%, as da Continental, alta de 5,31%, as do Deutsche Bank, alta de 4,28%, e as Siemens, alta de 4,18%.

Na Espanha, as ações do Banco de Sabadell subiram 6,98%, as da ArceloMittal, alta de 4,57%, e as da Bankinter, alta de 4,24%.

Na Europa, o índice da situação global sobe pela 10ª vez consecutiva para 5,5 pontos, o índice geral pela 11ª vez consecutiva para o melhor valor desde março de 2018. O quadro é basicamente o mesmo em todas as regiões do mundo, a alta é, portanto, de base ampla.

Na Eurolândia, a avaliação da situação também melhorou significativamente de -27,5 para -19,3 pontos, apesar das contínuas restrições em muitos países.

O Sentix Business Cycle Index para a Zona do Euro subiu acentuadamente em março em 5,2 pontos, para seu nível mais alto desde fevereiro de 2020. Acima de tudo, as pontuações da situação melhoraram significativamente. A recuperação econômica continua.

Na Alemanha, o aumento não é tão forte, mas o índice geral de 11,9 pontos ainda é o melhor valor desde novembro de 2018.

Na Alemanha, em janeiro de 2021, a produção da indústria recuou 2,5% em relação ao mês anterior, na série com ajuste de preços, sazonalidade e calendário, segundo dados provisórios do Instituto Federal de Estatística (Destatis). Em comparação com janeiro de 2020, a queda na produção ajustada de calendário na indústria foi de 3,9%.

Em comparação com fevereiro de 2020, um mês antes da imposição de restrições devido à pandemia de coronavírus na Alemanha, a produção em janeiro de 2021 foi 4,2% menor na sazonalidade e ajustada pelo calendário termos.

*Por Ivonéte Dainese com agências internacionais e relatórios

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?