Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa sustentam alta esperando por bancos centrais

Data de criação:

access_time 15/09/2020 - 15:33

Data de atualização:

access_time 15/09/2020 - 15:33
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas da Europa fecharam no azul nesta terça-feira. As expectativas para as reuniões dos bancos centrais ficaram no foco, bem como os indicadores econômicos apresentados para a Alemanha e o Reino Unido. Resultados de grandes empresas também ajudaram nos desempenhos.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,66% aos 370.96 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 1,32% aos 6.105 pontos; o DAX -30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,18% aos 13.217 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,32% a 5.051 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,14% aos 19.793 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 0,11% a 6.951 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,59% a 4.285 pontos.

Hoje, o Federal Reserve iniciou a reunião de dois dias para definir as taxas de juros dos Estados Unidos. Na sequência está o Banco da Inglaterra, que apresenta na quinta-feira (17).

Nesta sessão, segundo a Reuters, a Fiat Chrysler e a Peugeot PSA redefiniram os termos do acordo de fusão. As ações da Fiat subiram 6% e as da Peugeot caíram 1%.

Sobre as vacinas, o número de casos confirmados do coronavírus chegou perto de 30 milhões na terça-feira, com um site oficial de saúde chinês afirmando que uma vacina poderá estar disponível ao público já em novembro.

A mídia estatal informou que o Dr. Wu Guizhen, chefe de biossegurança dos Centros Chineses para Controle e Prevenção de Doenças, disse à emissora CCTV que o povo chinês comum poderia receber a vacina em novembro ou dezembro, escreveu o The New York Times.

Já no Reino Unido, as atenções ficaram com os dados do empregos, com o corte em 700 mil vagas desde março, mês que a pandemia de coronavírus ganhou força na Europa.

A taxa de desemprego do Reino Unido aumentou para 4,1% nos três meses até julho, principalmente devido ao aumento do número de jovens desempregados. Este resultado continua sendo um dos mais baixos da Europa, ante o resultado de julho da União Europeia, 7,2%.

Na Alemanha, o Indicador ZEW de Sentimento Econômico aumentou novamente na pesquisa de setembro de 2020, subindo 5,9 pontos para uma nova leitura de 77,4 pontos em relação ao mês anterior. A avaliação da situação econômica também melhorou, situando-se atualmente em menos 66,2 pontos, 15,1 pontos a mais que em agosto. Com o aumento do Indicador ZEW de Sentimento Econômico e a avaliação da situação econômica, as perspectivas gerais melhoraram significativamente em comparação com o mês anterior.

*Por Ivonéte Dainese de relatórios oficiais e com agências

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?