Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas Europeias recuam com lucros dos investidores

Data de criação:

access_time 07/04/2021 - 15:42

Data de atualização:

access_time 07/04/2021 - 15:42
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas europeias voltaram para campo negativo nesta quarta-feira (07/04), em dia de agenda global esvaziada. Os investidores aproveitaram para lucrar e, ao mesmo tempo, digerir os dados dos PMIs apresentados hoje do mês de março.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 fechou em queda de 0,22% aos 434.32 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,91% aos 6.885; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 0,24% aos 15.176; o CAC 40 (Paris) ficou estável aos 6.130; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,08% aos 24.740; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 0,43% aos 8.597; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,23% a 5.025.

O índice Stoxx Europe devolveu as altas com as ações de saúde perdendo força e na contramão dos bancos.

Nesta sessão, os dados do Reino Unido acabaram por moderar a valorização da libra esterlina. Além disso, a vacina da Moderna começou a ser aplicada no país e ajudou no desempenho da bolsa de Londres, com o índice sustentando os ganhos.

Por fim, as ações de setores economicamente sensíveis, como bancos, energia e montadoras, pesaram nos desempenhos dos índices. O bom humor foi mantido com os sinais apontando para uma recuperação econômica global forte, segundo o Fundo Monetário Internacional, embalada pelas vacinas e medidas de estímulos.

Entre as ações com ganhos no DAX-30 ficaram as do Deutsche Bank, alta de 1,24%, Allianz, alta de 0,76%, Henkel, alta de 1,17%, Vonovia, alta de 0,67%, e Delivery Hero, alta de 0,49%. Na contramão ficaram as ações da Volkswagen, queda de 2,45%, Adidas, queda de 1,99%, Covestro, queda de 1,96%, e Infineon Tecnologies, queda de 0,71%.

Na Eurozona, o índice PMI Composto de Manufatura ficou em 53,2, acima de 48,8 e no nível mais alto desde julho passado. O índice também ficou acima da leitura inicial de março.

Principais destaques ficaram com a Alemanha subindo 57,3, ante os 56,8 do flash, com 37 meses de alta; na Irlanda, o número ficou em 54,5, alta em oito meses; na Itália, o indicador ficou em 51,9, com oito meses no positivo; na Espanha com alta em 50,1, também com oito meses para cima; e a França, que avançou 50,0 e raspou nos 49,5 do flash, com sete meses no azul.

Na Espanha, o índice de Atividade de Negócios ficou em 48,1 em março, ante os 43,1 em fevereiro.

Já no Reino Unido, o índice de Serviços ficou em 56,3 em março, alta acentuada ante os 49,5 de fevereiro, sem alterações pela primeira vez desde outubro de 2020. O índice de Produção Composto, ajustado, ficou em 56,4, acima dos 49,6 em fevereiro e acima do limite neutro de 50,0 pela primeira vez em 2021 até o momento. O índice de Manufatura ficou em 56,6 em março, depois de 56,3 do mês anterior. Todos os dados da Europa são do IHS Markit.

Com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?