Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Cenário financeiro deve piorar nas próximas semanas com aumento da COVID1-9

Data de criação:

access_time 11/03/2020 - 19:57

Data de atualização:

access_time 11/03/2020 - 19:57
format_align_left 1 minuto de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

O mercado financeiro nacional teve mais um dia agitado nesta quarta-feira, pois, a Ibovespa chegou a registrar uma queda de 12,04%, batendo 81.113 pontos, acionando o circuit breaker pela segunda vez nesta semana, ou seja, suspendendo todas as negociações por 30 minutos. De acordo com o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, o país, ainda, deve sofrer com um grande aumento no número de casos do Coronavírus nas próximas duas semanas.

Para o economista e responsável pela mesa de operações da Messem Investimentos, Álvaro Villa, a forte queda na Bolsa de Valores, ocorreu principalmente com o aumento de casos do Covid-19 no país. “A queda livre se deve ao fato de o Brasil registrar rápido aumento no número de casos do Coronavírus, aliado a declaração da chanceler alemã, Angela Merkel, de que 70% dos alemães possuem grandes chances de serem contaminados”, destacou Villa.

Outro fator que contribuiu para a queda da Bolsa de Valores, de acordo com Villa, foi a Organização Mundial da Saúde (OMS), declarar pandemia da doença, alegando que o número de casos, mortes e países afetados pode subir significativamente e de modo acelerado nas próximas semanas. As consequências também atingiram a moeda americana, com o dólar chegando a R$ 4,79.

Gabbardo revelou durante pronunciamento oficial, na Comissão de Transparência e Defesa do Consumidor do Senado, que a ampliação dos casos de cidadãos infectados ficará acentuado, no Brasil, com o aumento da transmissão local.

“Na manhã de hoje, a Bolsa de Valores estava registrando queda entre 4% e 5%, mas depois do anúncio da OMS, despencou 12%, colocando, novamente, o mercado em alerta”, informou Villa. O número de casos da doença no Brasil também aumentou, passando de 37 para 52, no final da tarde desta quarta-feira(11).

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?