Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Acordo comercial entre China e EUA anima investidores

Data de criação:

access_time 13/01/2020 - 19:22

Data de atualização:

access_time 13/01/2020 - 19:22
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Deixando o conflito do Oriente Médio no pano de fundo, os investidores dos mercados acionários partiram para as compras nesta segunda-feira.

As expectativas estão elevadas para a assinatura do acordo comercial “Fase 1” entre a China e os Estados Unidos. As autoridades dos dois países devem discutir os últimos detalhes a partir de amanhã (14) e a assinatura deverá ocorrer na quarta-feira (15).

Na Ásia, as bolsas subiram sob os efeitos das negociações de Wall Street e esperando pelo acordo.

Na Europa, os investidores mantiveram a aversão ao risco. Os dados econômicos divulgados hoje ficaram no radar. Além disso, os investidores também já estimam os ganhos das empresas com o início da temporada de resultados na próxima semana.

Nos Estados Unidos, os pesos pesados de Wall Street ficaram no azul. Além do acordo comercial, os radares já estão nos dados econômicos programados para a semana e também para o começo da temporada de resultados.

Por aqui, o Ibovespa voltou para o azul. O foco, como nos demais, está na assinatura do acordo comercial China-Estados Unidos.

Hoje, os números do primeiro Boletim Focus completo do Banco Central do Brasil – BCB mostraram quedas nas projeções para a inflação, alta do PIB e ainda uma taxa de juros em queda.

Em dia de compras na bolsa, o dólar comercial também ganhou força ante o real. Mesmo assim, o setor de exportação foi o grande beneficiado com a puxada da moeda.

Sobre os mercados

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 1,11% a 28.954 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,36% a 1.822. O índice Xangai ficou em alta de 0,75% a 3.115. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,15% a 3.251. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,47% aos 23.850. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,37% a 6.903. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 1,04% a 2.229. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,62% aos 41.859. O índice regional MSCI Asia Pacific subiu 0,20% no pregão de hoje. O Japão ficou fechado com feriado.

Na Europa, ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,18% aos 418.39 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,39% aos 7.617; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 0,24% a 13.451; o CAC 40 (Paris) ficou estável aos 6.036; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,52% aos 23.896; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 0,31% a 9.543; e o PSI-20 (Lisboa) ficou estável a 5.260.

Nos Estados Unidos, ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,29% aos 28.907 pontos. O S&P ficou em alta de 0,69% aos 3.288 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 1,04% aos 9.273 pontos.

No Brasil, ao final, o Ibovespa ficou em alta de 1,58% aos 117.325 pontos. O volume financeiro ficou em R$ 21,90 bilhões.

Operaram com ganhos
ViaVarejo ON, alta de 8,55%; Sid. Nacional ON, alta de 6,05%; Gerdau Met. PN, alta de 5,26%; Gerdau Met. PN, alta de 5,26%; Klabin UNT, alta de 4,76%; e Magaz. Luiza ON, alta de 4,69%.

Operaram com perdas
SulAmerica UNT, queda de 2,27%; Braskem PNA, queda de 1,31%; P. Açucar – CDB PN, queda de 1,09%; CVC Brasil ON, queda de 1,05%; e Carrefour BR ON, queda de 0,89%.

Mais negociadas
Vale ON, alta de 3,64%; Brasil ON, alta de 1,12%; ItauUnibanco ED, alta de 1,33%; Petrobras PN, alta de 0,20%; e ViaVarejo ON, alta de 8,55%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 06 de janeiro de 2020 a 30 de abril de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Itauunibanco PN (8,573%), Vale ON (8,189%), Bradesco PN (6,985%), Petrobras PN (6,617%), e B3 ON (4,312%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 5,77% a US$64,25 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 1,64% aos US$58,08 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 2,14% aos US$95,93 a tonelada seca e com 62% de pureza.

Moedas

No Brasil, ao final e no interbancário, o dólar comercial ficou em alta de 1,18% aos R$4,142 para a venda. O dólar turismo ficou em alta de 0,23% aos R$4,310 para a venda.

O euro subiu 1,27% aos R$4,614 para a venda. A libra subiu 0,61% a R$5,382 para a venda. O peso argentino ficou em alta de 0,58% a R$0,069 para a venda.

Cenário externo

O índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou estável a 97,39.

O euro ficou em alta de 0,14% a US$ 1,1135. A libra ficou em queda de 0,52% a US$ 1.2991.

O ouro ficou em queda de 0,76% a US$1,548,30 a onça.

O Bitcoin ficou em queda de 0,40% os US$8,152,37.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?