Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Aversão em parte dos mercados acionários e Wall Street fica em recorde

Data de criação:

access_time 10/02/2020 - 20:19

Data de atualização:

access_time 10/02/2020 - 20:19
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Parte dos investidores dos mercados acionários globais decidiu manter as vendas nas negociações desta segunda-feira. O efeito não ficou por conta de indicadores, mas com notícias corporativas, políticas e, principalmente, com os números do coronavírus.

De outro lado, os investidores de Wall Street partiram para as compras e elevaram o índice Nasdaq para novo recorde. Por lá, a temporada de balanços financeiros, as declarações do presidente Donald Trump sobre o orçamento e as notícias corporativas ajudaram a sustentar os ganhos. Declarações de membros do Federal Reserve e os números do coronavírus também ficaram entre os destaques da segunda-feira cheia em Nova York.

Na Ásia, com a China apresentando indicadores, as autoridades de saúde garantem que o vírus está sob controle. Hoje, o presidente Xi Jinping, usando também máscaras e passando pelos testes de febre, visitou hospitais de Pequim e participou de videoconferência com médicos de Wuhan. Essa foi a primeira aparição de Xi desde o início da epidemia.

Na Europa, as medidas para conter a disseminação do vírus foram reforçadas. Ainda por lá, o quadro político também despertou atenção dos investidores, em especial, da Alemanha e da Irlanda. As bolsas fecharam divididas.

Por aqui, em dia de caos na maior cidade a América Latina, São Paulo, os investidores da bolsa de valores mantiveram as vendas. Os balanços financeiros, os ruídos corporativos e as expectativas para os trabalhos no Congresso Nacional também ficaram no radar.

O dólar comercial trouxe pânico ao encostar nos R$4,40.

Sobre os mercados

Na Ásia, o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,21% a 1.757. O índice Xangai ficou em alta de 0,51% a 2.890. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,58% a 3.163. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,60% aos 23.685. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,14% a 7.012. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 0,49% a 2.201. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,39% aos 40.979. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,33% aos 11.574.

Na Europa, ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,07% aos 424.64 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em queda de 0,27% aos 7.446; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 0,15% a 13.494; o CAC 40 (Paris) caiu 0,23% a 6.015; o FTSE-MIB (Milão) subiu 0,12% aos 24.507; o Ibex 35 (Madri) ficou estável a 9.816; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em queda de 0,15% a 5.282.

Nos Estados Unidos, ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,60% aos 29.276 pontos. O S&P ficou em alta de 0,73% aos 3.352 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 1,13% aos 9.628 pontos.

No Brasil, o Ibovespa recuou 1,05% aos 112.570 pontos. O giro financeiro foi de R$29,14 bilhões.

Operaram com ganhos
Itaú PN, alta de 2,03%, ItauUnibanco PN, alta de 1,69%; Bradesco PN, alta de 0,54%; Bradesco PN, alta de 0,54%; Santander BR, alta de 1,45%; e BBSeguridade ON, alta de 1,30%.

Operaram com perdas
IRBBrasil RE ON, queda de 16,49%; Marfrig ON, queda de 6,94%; CVC Brasil ON, queda de 6,03%; Cyrela Realt ON, queda de 5,93%; e BTG Banco UNT, queda de 4,66%.

Mais negociadas
Petrobras ON, alta de 0,38%; Petrobras PN, queda de 0,69%; IRBBrasil RE ON, queda de 16,49%; ItauUnibanco PN, alta de 1,69%; e Vale ON, queda de 3,67%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 06 de janeiro de 2020 a 30 de abril de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Itauunibanco PN (8,573%), Vale ON (8,189%), Bradesco PN (6,985%), Petrobras PN (6,617%), e B3 ON (4,312%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 2,01% a US$54,00 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 1,33% aos US$49,65 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 0,85% aos US$82,88 a tonelada seca e com 62% de pureza.

No Brasil, ao final e no interbancário, a divisa ficou estável aos R$4,320 para a venda. O dólar turismo ficou em alta de 0,22% aos R$4,500 para a venda.

O euro recuou 0,20% aos R$4,720 para a venda. A libra ficou em alta de 0,30% a R$5,586 para a venda. O peso argentino recua 0,56% a R$0,071 para a venda.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou em alta de 0,18% a 98,86.

O euro ficou em queda de 0,28% a US$ 1,0912. A libra ficou em alta de 0,23% a US$ 1.2913.

O ouro ficou em alta de 0,13% a US$1,575,50 a onça.

O Bitcoin ficou em queda de 3,19% a US$9,808,22.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?