Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Coronavírus pesa em todos os mercados acionários globais

Data de criação:

access_time 27/01/2020 - 20:00

Data de atualização:

access_time 27/01/2020 - 20:00
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A semana começou com os investidores dos mercados acionários globais mantendo a forte aversão do risco. Todas as atenções estão voltadas para o avanço no número de pessoas contagiadas pela nova versão do coronavírus a partir da China.

Na Ásia, com a maioria das bolsas de valores fechadas com feriados, os investidores do Japão recuaram forte nas negociações. No país já foram registrados casos, bem como em outros da região asiática. A agenda estava vazia.

Na Europa, os índices também caíram forte. As empresas de turismo, produtos de luxo e companhias aéreas foram as mais prejudicadas. Além dos casos de contágio pelo vírus vindo da China, os preparativos para a saída do Reino Unido da União Europeia também já estão no radar. Apenas a Alemanha apresentou indicadores.

Nos Estados Unidos, os pesos pesados de Wall Street recuaram forte. Em dia de agenda vazia, em plena temporada de resultados e com a primeira reunião do Federal Reserve no foco, os investidores já contabilizam as perdas parciais para a economia da China com o avanço do coronavírus. Em Wall Street, as ações das companhias aéreas americanas e as dos cassinos de Las Vegas foram as mais liquidadas.

Por aqui, diante desse cenário, o Ibovespa também caiu forte. Porém, as notícias corporativas, como o negócio fechado entre a empresa brasileira fabricante de armas com uma indiana, ajudaram a sustentar as quedas das ações com maiores pesos no índice.

Sobre os mercados

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 0,15% a 27.949. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,17% a 3.240. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 2,03% aos 23.343. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou estável a 7.090. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 1,105 aos 41.155.O índice MSCI Asia Pacific fechou perto da estabilidade.

Na Europa, ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,86% eaos 423.64 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 1,04% a 7.585; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 1,41% a 13.576; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,88% a 6.024; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 1,11% aos 23.969; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 0,46% a 9.562; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,99% a 5.286.

Nos Estados Unidos, ao final, o Dow Jones recuou 1,57% aos 28.535 pontos. O S&P recuou 1,57% aos 3.243 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 1,89% aos 9.139 pontos

No Brasil, ao final, o Ibovespa ficou em queda de 3,29% aos 114.481 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 23,86 bilhões.

Operaram com ganhos
Telef. Brasil PN, alta de 0,83%; RaiDrogasil ON, alta de 0,81%; TIM Part. ON, alta de 0,67%; Ecorodovias ON, alta de 0,63%; e Localiza ON, alta de 0,06%%.

Operaram com perdas
Gerdau PN, queda de 7,94%; Sid. Nacional ON, queda 7,78%; ViaVarejo ON, queda de 7,33%; Gerdau Met. PN, queda de 7,51%; e Marfrig ON, queda de 7,27%.

Mais negociadas
Petrobras PN, queda de 4,33%; Vale ON, queda de 6,12%; Brasil ON, queda de 0,98%; ViaVarejo ON, queda de 7,33%; e B3 ON, queda de 2,74%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 06 de janeiro de 2020 a 30 de abril de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Itauunibanco PN (8,573%), Vale ON (8,189%), Bradesco PN (6,985%), Petrobras PN (6,617%), e B3 ON (4,312%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 1,34% a US$58,85 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 2,62% aos US$52,77 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

No Brasil, ao final e no interbancário, o dólar comercial ficou em alta de 0,58% aos R$4,210 para a venda. Na semana passada, a moeda ficou em alta de 0,50%. O dólar turismo ficou em alta de 0,69% a R$4,380 para a venda.

O euro ficou em alta de 0,52% aos R$4,636 para a venda. A libra ficou em alta de 0,485 a R$5,496 para a venda. O peso argentino ficou em alta de 0,43% a R$0,070 para a venda.

Cenário externo

O índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, subiu 0,09% a 97,94.

O euro ficou em queda de 0,07% a US$ 1,1018. A libra ficou em queda de 0,16% a US$ 1.3057.

O ouro ficou em alta de 0,59% a US$1,581,10 a onça.

O Bitcoin segue em alta de 3,49% a US$8,906,55.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?