Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Dia menos ruim e esperando abertura das economias

Data de criação:

access_time 28/04/2020 - 19:52

Data de atualização:

access_time 28/04/2020 - 22:36
format_align_left 8 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Quase na reta do mês de abril, que com certeza vai entrar para a história do mundo, os investidores dos mercados acionários resolveram partir para o risco, ajustar e realizar lucros, enquanto esperam por medidas de conforto por parte dos bancos centrais. No foco estão também os balanços financeiros e os números da pandemia de coronavírus.

Em alguns países da Europa, na China e em algumas cidades dos Estados Unidos os pequenos negócios estão sendo reabertos.

Começando pela Ásia, as bolsas fecharam sem direção. Os investidores estão esperando por indicadores econômicos e também por medidas de bancos centrais.

Na Europa, os índices das principais bolsas de ações também reagiram. Por lá, os indicadores econômicos e a reunião do Banco Central Europeu, que termina na quinta-feira (30), também já estão entre os destaques. As expectativas estão em torno de um novo pacote de ajuda, esse projetado para janeiro de 2021, que poderá ser anunciado pela presidente do BCE, Christine Lagarde. Alguns países estão programando as reaberturas depois de 11 de maio e outros já estão atuando de forma gradual.

Nos Estados Unidos, além dos números da doença COVID-19, os investidores estão aguardando os balanços financeiros. No front político, a corrida para a Casa Branca segue sem brilho e com as campanhas impactadas pela pandemia de coronavírus. Um bom momento para o presidente Donald Trump, que todos os dias tem se aproveitado das coletivas de imprensa para fazer campanha, segundo analistas.

Hoje, Trump detalhou o Paycheck Protection Program – PPP, o programa de empréstimos é destinado para pequenas empresas. Porém, algumas grandes empresas foram autorizadas também a receber ajuda. Trump chamou a demanda de “extraordinariamente alta”, depois que o programa retomou os empréstimos ontem.

Na semana passada, o Departamento do Tesouro disse que o PPP não se destina a ajudar empresas públicas “com valor substancial de mercado e acesso ao mercado de capitais” e deu a essas empresas até 07 de maio para devolver fundos.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, também completou que o governo auditará os empréstimos para PMEs acima de US $ 2 milhões, enquanto alerta sobre responsabilidade criminal para empresas que receberam indevidamente dinheiro do governo.

O programa de empréstimos de emergência para PMEs – projetado para evitar demissões durante a pandemia de coronavírus – estava fechado desde 16 de abril, quando ficou sem os US $ 350 bilhões iniciais. O PPP permite que as empresas tenham seus empréstimos perdoados se gastarem dinheiro em folha de pagamento e benefícios.

Por aqui, o dia foi de compras na bolsa de valores de São Paulo. A atenção para a COVID-19 foi redobrada por conta do número de casos.

O Ibovespa renovou a alta e do dólar perdeu força.

Sobre o coronavírus

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 3.110.219 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo. Entre ontem e hoje, o número de mortes subiu para 216.808. Porém, a boa notícia é que os casos de pessoas que se recuperaram da COVID-19 somam 923.724, ou seja, acima de 891.548 pessoas de ontem.

Nos Estados Unidos atualmente são 1.010.717 casos confirmados com 58.365 mortes e 115.372 pessoas recuperadas.

No Brasil, ainda pela plataforma do Johns Hopkins, os casos confirmados somam 71.886, sendo que o número de mortes está em 5.017 com o mesmo número de pessoas recuperadas, ou seja, 32.544.

O Brasil está acima do Canadá, que tem hoje 50.932 casos confirmados, com 2.976 mortes e 19.054 pessoas recuperadas. O Brasil está abaixo da China, que está com 83.938 casos confirmados, com 4.637 mortes e 78.403 casos de pessoas recuperadas.

O levantamento é de 19h25 desta terça-feira pelo horário de Brasília.

Veja o comportamento dos mercados

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em alta de 1,22% a 24.575 e o índice Shenzhen Composite ficou em queda de 0,32% a 1.732. O índice Xangai ficou em queda de 0,19% a 2.810. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,53% a 2.562. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,16% a 5.313. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,06% aos 19.771. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,59% a 1.934. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 1,17% os 32.114. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,46% aos 10.616.

Na Europa, ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 1,68% aos 341.09 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 1,91% aos 5.958 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) subiu 1,27% a 10.795 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 1,43% a 4.569 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta 1,71% aos 17.677 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 1,55% a 6.836 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 1,87% a 4.213 pontos.

Nos Estados Unidos, ao final, o Dow Jones ficou em queda de 0,13% aos 24.101 pontos. O S&P ficou em queda de 0,52% aos 2.863 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 1,40% aos 8.607 pontos.

No Brasil, ao final, o Ibovespa ficou em alta de 3,93% aos 81.312 pontos. O volume financeiro ficou em R$27,33 bilhões.

Operaram com ganhos
Via Varejo ON, alta de 19,42%; CVC Brasil ON, alta de 14,48%; Azul PN, alta de 13,75%; Smiles ON, alta de 12,95%; e Brasil ON, alta de 13,43%.

Operaram com perdas
IRBBrasil ON, queda de 4,86%; Suzano ON, queda de 3,62%; P.Açúcar –CBD ON, queda 3,50%; Rumo ON, queda de 2,27%; e BRF ON, queda de 1,22%.

Mais negociadas
Petrobras PN, alta de 4,86%; Vale ON, alta 0,13%; ViaVarejo ON, alta de 19,42%; Brasil ON, alta de 13,43%; e ItauUnibanco PN, alta de 8,25%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 06 de janeiro de 2020 a 30 de abril de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Itauunibanco PN (8,573%), Vale ON (8,189%), Bradesco PN (6,985%), Petrobras PN (6,617%), e B3 ON (4,312%).

Commodities

O petróleo referência Brent fechou em alta de 1,14% aos US$23,00 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em alta de 3,60% aos US$13,23 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 1,53% a US$82,20 a tonelada seca.

No Brasil, ao final e no interbancário, o dólar comercial ficou em queda de 2,59% aos R$5,517 para a venda. O dólar turismo recuou 2,71% a R$5,730 para a venda.

O euro caiu 2,66% aos R$5,961 para a venda. A libra esterlina ficou em queda de 2,61% a R$6,846 para a venda. O peso argentino ficou em queda de 2,82% a R$0,082 para a venda.

O Banco Central do Brasil colocou o lote de 10 mil contratos em swap para rolagem em junho.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, operou em queda de 0,17% aos 99,87.

O ouro ficou em queda de 0,09% a US$1.722,20 a onça na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O euro ficou estável a US$ 1,0823 e a libra esterlina ficou estável a US$1.2428.

O Bitcoin caiu 0,17% aos US$7,773,04.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios oficiais e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?