Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Tudo azul novamente, mas será?

Data de criação:

access_time 12/02/2020 - 20:57

Data de atualização:

access_time 12/02/2020 - 20:57
format_align_left 6 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os investidores dos mercados acionários globais voltaram com força para as compras nesta quarta-feira. A disposição se deu com as informações de autoridades da área de saúde da China destacando que o COVID-19, nova denominação para o coronavírus, está sob controle. Já alguns analistas internacionais ainda duvidam e acham que é muito cedo para tais declarações.

Enquanto isso, o mundo segue e os mercados financeiros descolaram. Em plena temporada de resultados financeiros, os bancos centrais seguem destacando medidas para manter a economia global aquecida.

Hoje, as bolsas asiáticas fecharam com ganhos e na sequência ficaram as da Europa.

Nos Estados Unidos, os pesos pesados de Wall Street renovaram os recordes. Além das informações sobre o vírus da China, os investidores digeriram as declarações do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, ao Senado. A corrida para ocupar a Casa Branca também ficou no destaque.

Por aqui, os investidores também foram às compras. O dia foi movimentado na bolsa de valores de São Paulo com o vencimento de opções sobre o Ibovespa, que chegou a R$ 21.962.286.000,00, com 195.436 contratos negociados. Do volume de operações exercidas, R$ 18.893.152.000,00 são de opções de compra e R$ 3.069.134.000,00 opções de venda. O montante do dia foi de R$76,60 bilhões.

Brasília também ficou no radar, com a possibilidade da dança das cadeiras continuar nos ministérios do presidente Jair Bolsonaro.

Finalmente, o dólar incomodou o real e na bolsa de Nova York o índice DXY disparou.

Sobre os mercados

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em alta de 0,87% a 27.823 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,55% a 1.758. O índice Xangai ficou em alta de 0,87% a 2.926. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 1,51% a 3.223. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,74% aos 23.861. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,47% a 7.088. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,69% a 2.238. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,85% aos 41.565. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,94% aos 11.774.

Na Europa, ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,63% aos 431.16 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,47% aos 7.534; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,89% a 13.749; o CAC 40 (Paris) subiu 0,83% a 6.104; o FTSE-MIB (Milão) subiu 0,70% aos 24.861; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 0,58% a 9.940; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,46% a 5.314.

Nos Estados Unidos, ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,94% aos 29.5516 pontos. O S&P ficou em alta de 0,65% aos 3.379 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 0,90% aos 9.725 pontos.

No Brasil, ao final, o Ibovespa ficou em alta de 1,13% aos 116.674 pontos. O giro financeiro ficou em R$74,60 bilhões, a maior movimentação do ano.

Operaram com ganhos
P. Açúcar- CBD PN, alta de 5,59%; Klabin UNT, alta de 4,52%; TOTVS ON, alta de 4,24%; Cogna ON, alta de 4,04%; e TIM Part. ON, alta de 4,05%.

Operaram com perdas
CVC Brasil ON, queda de 2,49%; IRBBrasil ON, queda de 2,74%; Bradesco ON, queda de 1,44%; e Marfrig ON, queda de 1,19%.

Mais negociadas
Petrobras ON, alta de 1,69%; Petrobras PN, alta de 2,20%; Vale ON, alta de 1,96%; Bradesco PN, alta de 0,88%; e ItauUnibanco PN, queda de 0,40%.

Carteira Teórica

Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 06 de janeiro de 2020 a 30 de abril de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Itauunibanco PN (8,573%), Vale ON (8,189%), Bradesco PN (6,985%), Petrobras PN (6,617%), e B3 ON (4,312%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em alta de 2,82% a US$56,15 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em alta de 3,22% aos US$51,56 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 0,86% aos US$87,68 a tonelada seca e com 62% de pureza.

No Brasil, ao final, no interbancário, a divisa ficou em alta de 0,55% aos R$4,350 para a venda. O dólar turismo ficou em alta de 0,66% aos R$4,530 para a venda.

O euro ficou estável aos R$4,732 para a venda. A libra ficou em alta de 0,49% a R$5,640 para a venda. O peso argentino recuou 0,2% a R$0,071 para a venda.

Fluxo Cambial

O Banco Central do Brasil mostrou nesta quarta-feira (12) que o fluxo cambial para a semana encerrada em 07 de fevereiro ficou positivo em US$3,698 bilhões.

A conta financeira apresentou entradas líquidas de US$ 2,298 bilhões, com aportes de US$14,645 bilhões e retiradas de US$12,347 bilhões.

Na conta comercial, o resultado é positivo em US$1,400 bilhão, com importações em US$2,212 bilhões e exportações de US$3,612 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$488 milhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio, US$1,331 bilhão em Pagamento Antecipado e US$1,793 bilhão em outras entradas.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou em alta de 0,28% a 99,00, um dos maiores patamares do ano.

O euro fechou em queda de 0,64% a US$ 1,0872. A libra ficou em alta de 0,58% a US$1.2955.

O ouro caiu 0,06% a US$1,569,10 a onça.

O Bitcoin ficou em alta de 1,26% a US$10,333,39.

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?