Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Guide Investimentos e a Carteira Small Caps de Agosto

Data de criação:

access_time 03/08/2020 - 14:59

Data de atualização:

access_time 03/08/2020 - 14:59
format_align_left 6 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os analistas da Guide Investimentos, na Carteira de Small Caps decidiram por incluir Even On, Banco Pan PN, JLS ON e Cogna On. Saíram O Banco Inter UNIt, Grendene ON, Movida ON e Trisul ON.

Análise

“Para Agosto, ainda esperamos um cenário de elevada volatilidade, com os desdobramentos da propagação do coronavírus sendo o principal foco dos investidores, com destaque para a reabertura gradual das atividades no Brasil e nos maiores potenciais globais. Outro ponto de atenção ficará com relação a cena política local, em meio ao início da tramitação da reforma tributária. Para a carteira, optamos por retirar os ativos da Trisul, Banco Inter, Movida e Grendene, para dar entrada aos da Even, Banco Pan, JSL e Cogna. Acreditamos que com estas trocas, seremos capazes de capturar ganhos com ações mais descontadas e que podem se beneficiar com a reabertura gradual da economia, além de mantermos uma exposição a companhia exportadoras em meio ao cenário de dólar ainda em patamares elevados.”

A performance da Carteira no mês de Julho foi de 14,90%, no ano tem queda de 7,4% e desde o início a alta em 7%. O índice Small Caps, no mês foi de alta em 9m50%, no ano em queda de 13,2% e desde o início em alta de 10%.  A diferença no mês foi de alta em 5,40%, no ano de 2020 em alta de 5,8% e desde o início em queda de 3%.

A Carteira ficou assim:

10% Banco Pan (BPAN4)- Entrou

10% Cogna (COGN3)- Entrou

10% Even (EVEN3) – Entrou

10%JSL (JSLG3) – Entrou

10% Locaweb (LWSA3) =

10% Randon (RAPT4) =

10% Sanepar (SAPR11) =

10% SLC (SLCE3) =

10% AES Tietê (TIET11) =

10% Via Varejo (VVAR3).

Justificativas para as entradas

Banco Pan PN (BPAN4)

“Possuímos boas expectativas para o Banco Pan nos próximos períodos. Seu resultado do 1T20 foi positivo, com aumento da carteira de crédito consignado, produto que é mais defensivo entre outros de crédito, e portanto ideal para um cenário econômico adverso como o atual. Além disso, seus balanços mostraram forte posição de caixa, reforçada recentemente. No curto e médio prazos, acreditamos que o banco possua grandes oportunidades de apreciação, impulsionadas pela sua estratégia de atuação digital. No 1T20, 71% das vendas realizadas foram através de meios digitais. Por fim, o banco possui robusta base de clientes, que ao final de março superou a marca de 5,3 milhões e deve seguir aumentando, em conjunto com seu crescimento acelerado. O aumento da participação do BTG Pactual no controle do banco e possível saída da CAIXA do bloco de controle são triggers importantes no médio prazo.”

Cogna ON (COGN3)

“Após quedas expressivas no mês de Março, o movimento de recuperação para o setor de Educação parece ser pontual, em virtude da alta volatidade do mercado. Em todo caso, a realização das aulas presenciais no formato a distância pode impulsionar o segmento de EAD para os próximos trimestres, nesse sentido Yduqs e Cogna possuem as maiores plataformas do país. A Conga se destaca entre as empresas educacionais principalmente pelo seu forte poder de execução e agilidade do management, que conseguiu reestruturar a empresa diante das mudanças econômicas e regulatórias do setor. Além disso a empresa conta com: escala; forte atuação tanto em EAD, que ganhou bastante força durante a quarentena, quanto presencial; confortável quadro financeiro. Destacamos a estratégia do management para ampliar sua atuação. A Cogna se posiciona como uma das candidatas para a consolidação desse segmento de ensino básico. O segmento ainda é pulverizado, mas conta com um ticket médio por aluno mais elevado. É um segmento ainda pouco explorado para a companhia, com estratégias de execução diferente do ensino superior, mas acreditamos na capacidade de entrega de seu management. O IPO da Vasta deve continuar a destravar valor nos próximos meses, devido ao valuation da companhia (em torno de R$ 8 bilhões), enquanto Cogna possui um valor de mercado em torno de R$ 15,5 bilhões.”

JSL ON (JSLG3)

“A JSL é hoje o maior comprador de caminhões e insumos de transportes rodoviários do Brasil, além de ser um dos maiores compradores de veículos leves do país. Possui um amplo portfólio de serviços com sinergia entre os negócios. A empresa é dona da Vamos, JSL Logística, CS BRASIL, BBC, Original e possui participação de 55% da Movida. Suas operações logísticas diversificadas e a empresa vem apresentando bons resultados. O ideal para a empresa é que a alavancagem de nenhuma das empresas ultrapasse 3,5x. 72% do seu EBITDA é proveniente de seus modelos de negócio baseados em locação, business que tem previsibilidade de resultado, escala na compra de ativos a know-how na manutenção e depreciação, e 26% dos baseados em logística, que tem contratos de longo prazo, predominância do modelo asset light e crescimento relacionado à atividade econômica de 16 setores diferentes da economia. Por fim, atuam com capital intensivo em dois setores: papel e celulose e mineração, o resto conseguem fazer via terceirização. Nos próximos meses, a companhia deve se beneficiar da retomada das atividades, o que deve refletir no aumento do fluxo de veículos leves e pesados.”

Even ON (EVEN3)

“A Even apresentou sólidos resultados referentes ao 2T20, seguindo a mesma linha de sua prévia operacional, que contava com valor positivo de VSO líquido de lançamentos. Entre outros destaques positivos divulgados, estão: o aumento das vendas líquidas, comparado ao 1T20, redução do endividamento da companhia, impulsionado pela positiva geração de caixa, e diminuição dos distratos. Acreditamos que o movimento de reabertura gradual da economia deva favorecer o setor de construção civil, e dentro dele, a Even é um nome de destaque devido a sua boa performance apresentada nos últimos meses, que torna as expectativas mais positivas para a companhia nos próximos períodos, e também pelo anúncio do pedido de registro da oferta pública da Melnick Even, sua controlada. Esta possui atuação voltada para o mercado do Rio Grande do Sul e deve destravar valor para a Even.”

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?