Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Ibovespa azeda e fica aos 79.063 pontos com cenário externo

Data de criação:

access_time 06/05/2020 - 18:28

Data de atualização:

access_time 07/05/2020 - 09:02
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

O Ibovespa fechou em queda nesta quarta-feira, um movimento de realização de lucros e, ao mesmo tempo, com a cautela. Os investidores olharam para o cenário externo, com os números do desemprego dos Estados Unidos, números ruins para a economia Europeia e com o nosso clima político tenso.

Perto do fechamento do mercado, a Câmara Federal aprovou a PEC de Guerra, mas a medida não foi suficiente para alimentar o humor do investidor. Os resultados financeiros e os preços das commodities também ficaram no radar. O preço do barril do petróleo, por exemplo, voltou para o campo negativo.

Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 0,51% aos 79.063 pontos. O volume financeiro ficou em R$21,91 bilhões.

Operaram com ganhos
B2W Digital ON, alta de 19,13%; Magaz. Luiza ON, alta de 9,86%; Lojas Amer. PN, alta de 7,36%; Grupo Natura ON, alta de 5,74%; ViaVarejo ON, alta de 3,20%.

Operaram com perdas
CVC Brasil ON, queda de 5,89%; Cemig PN, queda de 4,65%; Embraer ON, queda de 4,53%; BTG Banco Pactual UNT N2, queda de 4,57%; e Petrobras ON, queda de 3,91%.

Mais negociadas
Petrobras PN, queda de 3,68%; Vale ON, alta de 1,44%; B2W Digital ON, alta de 19,13%; Magaz. Luiza ON, alta de 9,86%; e ViaVarejo alta de 3,20%.

Análise Rodrigo Franchini – Monte Bravo Investimentos

Hoje, em dia de agenda carregada, as atenções se voltaram para os índices Gerentes de Compras da Europa e também para o relatório da Automatic Data Processing Inc – ADP, a maior processadora de folha de pagamento dos Estados Unidos, mostrando que as empresas do setor privado perderam 20,2 milhões de empregos em abril.

“O mercado acompanhou o desempenho externo, com os dados do PMIs para a Europa e o relatório ADP mostrando as consequências da pandemia de coronavírus nas economias. Nas duas primeiras sessões da semana, o mercado reagiu e já esperava por mais indicadores ruins. Porém, além desses números, estamos acompanhando o avanço da doença e também o acirramento nas questões políticas. Se na Ásia as economias já estão sendo reabertas, bem como na Europa, de acordo com as autoridades nós ainda nem atingimos o pico da pandemia. Se o avanço da curva está em V, com as economias sinalizando uma recuperação em breve, a nossa curva deverá ser em U, com a retomada ainda mais lenta. Muitas reformas deveriam estar em andamento e continuam paralisadas no Congresso”, explicou o sócio da Monte Bravo Investimentos, Rodrigo Franchini.

Sobre a decisão do Comitê de Política Monetária – Copom, Banco Central do Brasil, que encerrou a reunião de dois dias para definir a taxa de juros, Franchini apontou para o corte agressivo deste primeiro momento. “O corte na taxa Selic , em 0,75 p.p., mostra que o BCB está mandando um recado para empresas e instituições financeiras, mas não para a Pessoa Física. Já no segundo momento, acredito em mais um corte, talvez 0,25 p.p. Diante desse cenário que estamos acompanhando, com o futuro incerto, para quem tem papel em bolsa o ideal é ter cautela. Vamos enfrentar mais um trimestre ruim, com algum movimento mais positivo no segundo semestre”, finalizou.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de maio de 2020 a 04 de setembro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Vale ON (10,154%), Itauunibanco PN (7,414%), Bradesco PN (5,611%), Petrobras PN (5,610%) e B3 ON (5,405%).

Commodities

O petróleo referência Brent fechou em alta de 0,61% aos US$29,90 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 1,59% aos US$24,17 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 0,37% a US$84,35 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?