Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Ibovespa recua 1,2% com política fiscal

Data de criação:

access_time 11/08/2020 - 19:06

Data de atualização:

access_time 11/08/2020 - 19:06
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

O Ibovespa acompanhou o cenário externo e devolveu a alta da sessão anterior nesta terça-feira. Além disso, o mercado ficou atento aos sinais de que o governo pretende manter o estado de calamidade até 2021, bem como elevar os gastos no setor de infraestrutura.

Conforme declarado pelo Governo Federal, o avanço nos gastos seria para não ter que cumprir a meta de déficit primário, o teto de gastos e a regra de ouro. O tema vem sendo duramente criticado pela classe política desde a semana passada.

Já a vacina anunciada pela Rússia, o que seria a primeira do mundo para a COVID-19, aninou o mercado na abertura, mas as questões domésticas acabaram por tirar o apetite dos investidores para as compras.

Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 1,23% aos 102.174 pontos. O volume financeiro ficou em R$28,72 bilhões.

“Hoje, o mercado ficou animado com a declaração da Rússia sobre o registro da vacina para a COVID-19, foi um bom sinal e acabou mexendo com os índices de riscos e até o dólar recuou. Já sobre as questões internas, a cautela no fiscal, que acabou pressionando o índice principal, com o governo sinalizando que poderá gastar mais em infraestrutura, no auxílio emergencial e elevando o déficit de gastos. Aliás, os DIS se movimentaram, com o de janeiro 27 abrindo 8 pontos. Ainda hoje, como vem ocorrendo, o índice Small-Caps 11 chegou a subir 1,30% pela questão da vacina e descolado do tema interno. Por fim, outra surpresa ficou para a ata do Copom, que reforçou o comunicado da reunião, em tom dovish, de que ainda há espaço para mais um corte, isso se não houver reação da inflação”, considerou o especialista de investimentos da Portofino, Thomas Gilbertoni.

O índice Small Caps 11 ficou em alta de 0,42% aos 2.470 pontos e foi o único em campo positivo nesta sessão.

Operaram com ganhos
GOL PN, alta de 8,51%; CVC Brasil, ON, alta de 7,68%; Azul PN, alta de 10,99%; IRBBrasil ON, alta de 5,92%; Braskem PNA, alta de 5,77%; e Vale ON, alta de 1,16%.

Operaram com perdas
Cia Hering ON, queda de 0,44%; Cosan ON, queda de 3,56%; Equatorial ON, queda de 3,00%, e Sabesp ON, queda de 3,97%.

Mais negociadas
Petrobras PN, alta de 2,72%; Via Varejo ON, alta de 0,84%; Vale ON, alta de 1,16%; Azul PN, alta de 10,99%; e Lojas Renner ON, queda de 1,69%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de maio de 2020 a 04 de setembro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Vale ON (10,154%), Itauunibanco PN (7,414%), Bradesco PN (5,611%), Petrobras PN (5,610%) e B3 ON (5,405%).

Commoditie

O petróleo referência Brent ficou estável aos US$44,52 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI operou em queda de 0,79% e com o barril negociado aos US$41,61 na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 1,58% a US$121,09 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?