Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Como estão os mercados acionários, as moedas e agendas?

Data de criação:

access_time 30/10/2020 - 11:31

Data de atualização:

access_time 30/10/2020 - 11:31
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta quarta-feira (27/10).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em queda de 1,95% aos 24.107 pontos. O índice Xangai, China, ficou em queda de 1,47% aos 3.224. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 2,29% a 2.198 e o ChiNext ficou em queda de 1,79%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 1,52% a 22.977. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,10% aos 2.423. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,34% aos 39.614.  O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,11% aos 6.057. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 2,56% a 2.267 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou em queda de 0,92% aos 12.546 pontos. Na região, o índice de ações da Ásia, exceto o Japão, MSCI subiu 0,14%.

As bolsas asiáticas fecharam no vermelho nesta sexta-feira. Ontem à noite, o Comitê Central do Partido Comunista anunciou uma série de medidas que serão adotadas para a China nos próximos cinco anos. Ainda por lá, as atenções permanecem na eleição nos Estados Unidos, na temporada de resultados financeiros e também no cenário crítico da Europa com a segunda onda da COVID-19. Indicadores econômicos também ficaram no radar.

EUROPA: Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 operava em alta de 0,12% aos 340.05 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em queda de 0,08% a 5.577 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) opera em queda de 0,30% aos 11.560 pontos; o CAC 40 (Paris) segue em alta de 0,12% aos 4.580 pontos; o FTSE-MIB (Milão) segue em alta de 0,14% aos 17.893 pontos; o Ibex 35 (Madri) está em alta de 0,07% a 6.418 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) segue em alta de 1,50% aos 3.920 pontos.

Na Europa, as bolsas estão ajustando e permaneceram sem direção nesta reta final das negociações da semana e de outubro. O avanço do coronavírus, com a França completamente fechada, e com os demais países adotando medidas pesadas para inibir o avanço da doença também estão no radar. Hoje, os investidores digeriram os dados econômicos da região, enquanto elevam as apostas sobre quem será o próximo presidente dos Estados Unidos. Neste momento, as moedas ganham força.

ESTADOS UNIDOS – Há pouco, o Dow Jones seguia em queda de 0,40% aos 26.552 pontos; o S&P seguia em queda de 0,58% aos 3.291 pontos; e o Nasdaq seguia em queda de 1,29% aos 11.040 pontos.

Os índices de Wall Street estão operando no vermelho nesta primeira hora da abertura. As atenções estão na agenda econômica, nos resultados financeiros da gigantes de tecnologia e, principalmente, na reta final da eleição. Os dois candidatos, Donald Trump e Joe Biden, estão com comícios marcados para o fim de semana. Já sobre a pandemia, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, até ontem ainda acreditava que poderia chegar a um acordo com a Casa Branca para a aprovação do pacote fiscal. O índice DXY opera em queda de 0,17% a 93,80.

BRASIL: Ibovespa opera em queda de 1,02% aos 95.594 pontos. O dólar comercial opera em alta de 0,40% a R$5,788 para a venda.

O índice principal da bolsa brasileira segue operando no vermelho. O front político interno permanece no radar do investidor, já que novas declarações sobre impostos foram feitas ontem pelo governo federal. O disparo de farpas pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em Rogério Marinho, que é ministro do Desenvolvimento, em discurso na Câmara também voltou a elevar a cautela do investidor. O temor de uma segunda onda da Covid-19 também assusta o Brasil. Na agenda, os dados do desemprego na pesquisa PNAD Contínua também estão no radar. O dólar, por sua vez, dá sinais de avanço sobre o real.

Commodities

O petróleo referência Brent opera em queda de 1,15% aos US$37,82 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI seguia em queda de 1,77% aos US$35,53 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao, China, ficou em alta de 1,28% a US$117,49 a tonelada.

*Tradução ID com relatórios e casas de análises

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?