Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Mercados acionários, moedas e agendas

Data de criação:

access_time 10/06/2020 - 11:12

Data de atualização:

access_time 10/06/2020 - 11:12
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta quarta-feira (10/06).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou estável aos 25.049. O índice Xangai, China, ficou em queda de 0,42% a 2.943. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,30% aos 1.874. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,15% aos 23.1241. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,23% aos 2.800. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,31% a 2.195. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,86% os 34.247. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,71% aos 11.720. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em estável aos 6.148%.

Os mercados asiáticos ficaram sem direção nesta quarta-feira. Os investidores analisaram o desempenho de Wall Street e, ao mesmo tempo, esperam pelas medidas do Federal Reserve. Nesta sessão, o índice Nikkei 225 do Japão subiu, depois que o governo informou uma queda acentuada nos pedidos de máquinas em abril. Nesta quarta-feira, as tensões entre as duas Coreias prosseguiram. O líder da Coreia do Norte Kim Jong-un interrompeu as comunicações com a vizinha do Sul ameaçando romper o acordo militar. Jong-un acusa o Sul de incitar sua população contra o regime aplicado no país.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia estável aos 369.66 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em alta de 0,15% aos 6.345 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em queda de 0,07% a 12.609 pontos; o CAC 40 (Paris) seguia em queda de 0,18% a 5.085 pontos; o FTSE-MIB (Milão) seguia em queda de 0,11% aos 19.907 pontos; o Ibex 35 (Madri) seguia em queda de 0,15% a 7.741 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em queda de 0,19% a 4.514 pontos.

As ações europeias operam sem direção na reta final das negociações desta quarta-feira, o terceiro declínio seguido. Os investidores da região estão digerindo as projeções negativas para a economia global, enquanto esperam pela decisão do Comitê Federal de Mercado Aberto, Fomc, do Federal Reserve. Ontem, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE alertou que a economia mundial está “na corda bamba”.  A OCDE previu uma queda de 6% no PIB este ano, desde que uma segunda onda do vírus possa ser evitada. Se o vírus retornar, antes do final deste ano, o PIB global cairá 7,6%. Na região foram apresentados indicadores, porém, o foco permaneceu nos dados da China. As moedas operam sem direção.

ESTADOS UNIDOS: Dow Jones opera em queda de 0,42% aos 27.153 pontos. O S&P opera em queda de 0,13% aos 3.202 pontos. O Nasdaq opera em alta de 0,45% aos 9.998 pontos.

Os índices de ações estavam tentando ganhar força na quarta-feira de manhã. O índice Dow Jones segue em queda livre ante os pares, com os investidores aguardando o Fed,. As notícias corporativas estão no radar, depois que a Hertz Global Holdings Inc recebeu aviso de cancelamento de registro da Bolsa de Valores de Nova York, citando o recente pedido de falência da empresa de aluguel de carros. As ações da Hertz, no entanto, ressurgiram depois do crescente otimismo, à medida que são destravados os bloqueios que limitavam a propagação da pandemia da COVID-19. Nos Estados Unidos foram apresentados indicadores e o índice de dólar opera em queda de 0,14% a 96,19.

BRASIL: O Ibovespa opera em queda de 0,72% aos 96.054 pontos. O dólar comercial segue em queda de 0,07% aos R$4,885 para a venda.

A bolsa de valores de São Paulo segue recuada, com os investidores analisando as projeções negativas para a economia global e, ao mesmo tempo, esperando pelo Federal Reserve. Hoje, o IBGE divulgou o IPCA de maio, que mostrou deflação em 0,38% em maio. O resultado, segundo o consenso de mercado, deverá ajudar o Banco Central do Brasil a definir mais um corte na taxa Selic. As apostas estão em 0,75 p.p. na reunião do Copom no próximo dia 17. O investidor também mantém a cautela nesta sessão com o feriado de amanhã, Corpus Christi, quando a B3 permanecerá fechada. O dólar segue volátil.

Commodities

O petróleo referência Brent opera em queda de 1,82% aos US$40,43 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI seguia em queda de 1,98% aos US$38,170 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do ouro segue em alta de 0,53% a US$1.731,10 a onça na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 0,64% a US$103,93 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?