Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Mercados acionários, moedas e agendas neste momento

Data de criação:

access_time 24/07/2020 - 11:49

Data de atualização:

access_time 24/07/2020 - 11:50
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta sexta-feira (24/07).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 2,21% aos 24.705. O índice Xangai, China, ficou em queda de 3,86% aos 3.196. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 5,00% a 2.138. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,26% aos 2.579. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 0,71% aos 2.200. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou estável aos 38.128. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,88% aos 12.304. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 1,16% aos 6.024.

Na Ásia, as bolsas de ações recuaram forte como nível de tensão mais elevado entre a China e os Estados Unidos, agora com o fechamento do consulado dos Estados Unidos na cidade ocidental de Chengdu. Além disso, a temporada de balanços financeiros e a queda nas ações do setor de tecnologia em Wall Street nas negociações de ontem também puxaram os preços dos papéis para baixo. O índice regional de ações MSCI Asia Pacific caiu 1,0%. Os mercados do Japão estão fechados com feriado.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 estava em queda de 1,71% aos 367.48 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em queda de 1,22% aos 6.135 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em queda de 1,75% aos 12.875 pontos; o CAC 40 (Paris) seguia em queda de 1,37% a 4.964 pontos; o FTSE-MIB (Milão) seguia em queda de 1,76% aos 20.095 pontos; o Ibex 35 (Madri) seguia em queda de 1,03% a 7.308 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em queda de 0,74% a 4.504 pontos.

Na Europa, as bolsas dão sinais de fechamento no vermelho. As preocupações com o desenrolar das tensões entre americanos e chineses, isso em meio a uma economia mundial fragilizada pela pandemia de coronavírus, assustam os investidores europeus. Apesar dos dados da atividade mostrando que a economia da Zona do Euro ganhou força no mês passado, os investidores seguem mantendo a aversão ao risco. O índice de gerente de compras (PMI) composto subiu de 48,5 em junho para 54,8 em julho, atingindo o maior nível em 25 meses, superando a projeção dos analistas, que previam o índice em 51. As moedas estão estressadas e operando valorizadas. Há pouco, o euro estava em alta de 0,27% a US$1.1625 e a libra em alta de 0,45% a US$1.2789.

ESTADOS UNIDOS – Há pouco, o Dow Jones estava em queda de 0,19% aos 26.602 pontos; o S&P seguia em queda de 0,43% aos 3.221 pontos; e o Nasdaq seguia em queda de 1,06% aos 10.351 pontos.

A bolsa de Nova York opera em queda nesta sessão, com o radar nas diferenças extremas entre os governos da China e dos Estados Unidos. A temporada de resultados financeiros permanece entre os destaques do dia, bem como os dados da agenda. O índice DXY está em queda de 0,23% a 94,48. O índice VIX, que mede a volatilidade dos mercados, está em alta de 2,99% a 26,86 pontos. Ainda nos Estados Unidos, os números de pessoas contaminadas pelo coronavírus seguem elevados. Há pouco, pelo levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, EUA, são 4.040.658 casos confirmados de contaminação, com 144.320 mortes e 1.233.269 pessoas recuperadas.

BRASIL: Ibovespa opera em alta de 0,15% aos 102.445 pontos. O dólar comercial opera em queda de 0,30% aos R$5,197 para a venda.

A bolsa de valores de São Paulo dá sinais de avanço. O clima externo, com China e Estados Unidos no foco, também está pesando no humor do investidor por aqui. Hoje, o IBGE mostrou a prévia da inflação no IPCA-15, com avanço em 0,3%, puxada pelos preços dos combustíveis. Estão no radar o BNDES, que sinaliza a venda de ações da Petrobras, Suzano e Klabin, que podem influenciar no preço destas ações. Entre os resultados, depois do fechamento, apenas a Hypera apresenta os números do segundo trimestre.

Commodities

O petróleo referência Brent opera em queda de 0,12% aos US$43,26 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI seguia estável aos US$41,07 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do ouro segue em alta de 0,44% a US$1.898,40 a onça na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 0,66% a US$109,39 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios de casas de análises e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?