Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Mercados acionários, moedas e agendas neste momento

Data de criação:

access_time 11/08/2020 - 11:51

Data de atualização:

access_time 11/08/2020 - 11:51
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta terça-feira (11/08).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 2,11% aos 24.890. O índice Xangai, China, ficou em queda de 1,15% aos 3.340. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 1,49% a 2.243. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 1,88% aos 22.750. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,05% aos 2.544. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 1,35% aos 2.418. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,59% aos 38.407. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,88% aos 12.780. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,47% aos 6.138.

As bolsas asiáticas ficaram sem direção nesta terça-feira, depois dos resultados de Wall Street na sessão do dia anterior, quando o Nasdaq perdeu força com as ações de tecnologia. No Japão, o superávit em conta corrente caiu 31,4% no primeiro semestre de 2020 em relação ao ano anterior para 7,31 trilhões de ienes (US $ 69 bilhões). Esse é o nível mais baixo em mais de cinco anos, já que as exportações e gastos de visitantes do exterior foram duramente atingidos pela pandemia do coronavírus. Os dados são do Ministério de Finanças do Japão.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 estava em alta de 1,85% aos 371.43 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em alta de 1,70% aos 6.156 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) segue em alta de 2,36% aos 12.990 pontos; o CAC 40 (Paris) segue em alta de 2,77% a 5.046 pontos; o FTSE-MIB (Milão) segue em alta de 3,01% aos 20.245 pontos; o Ibex 35 (Madri) estava em alta de 3,29% a 7.286 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em alta de 1,42% a 4.459 pontos.

As ações europeias estão sinalizando o fechamento no azul, com os investidores um pouco mais animados com os sinais de desaceleração do coronavírus e a possibilidade de que uma nova rodada de estímulo dos Estados Unidos. Sobre os indicadores, no Reino Unido a taxa de desemprego permaneceu estável em 3,9% nos três meses até junho, refletindo as pessoas que não estão procurando emprego, bem como 7,5 milhões que estão dispensados ou temporariamente afastados do emprego. Ainda hoje serão apresentados mais dados sobre a economia da região. As moedas estão operando com ganhos, com o euro em alta de 0,28% a US$1,1773 e a libra em alta de 0,30% aUS$1.3106.

ESTADOS UNIDOS – Há pouco, o Dow Jones seguia em alta de 0,87% aos 28.034 pontos; o S&P seguia estável aos 3.361 pontos; e o Nasdaq seguia em queda de 0,81% aos 10.878 pontos.

Os índices de peso na bolsa de Nova York ainda estão buscando um patamar, com os investidores analisando os desempenhos corporativos, bem como o anúncio da Rússia sobre o registro de uma vacina para a COVID-19. O mercado ainda observa os movimentos na Casa Branca e dos legisladores democratas e republicanos, que sinalizaram a retomada das negociações sobre o pacote de ajuda aos americanos desempregados, mesmo depois do presidente Donald Trump ter assinado as ordens executivas estendendo o auxílio em US$400 por semana. O antigo, em US$600, caducou no final de julho. Embora com otimismo, as ordens de Trump podem ainda enfrentar obstáculos legais e logísticos.

BRASIL: Ibovespa opera em alta de 0,25% aos 103.704 pontos. O dólar comercial segue em queda de 0,99% aos R$5,410 para a venda.

A bolsa de valores de São Paulo opera em ligeira alta nesta sessão, com o IPC-FIPE da 1ª semana ligeiramente abaixo do esperado (0,28% contra 0,30%). Os receios em relação às mudanças no teto de gastos no Congresso ainda persistem, apesar das declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e de membros do TCU negando que isso seja aprovado. Informações da mídia dão conta de que existe apoio entre alguns ministros e membros do Congresso para estender o estado de calamidade até 2021. A ata do Copom, divulgada pelo BCB, indicou a cautela sobre novos cortes na taxa de juros. Em paralelo, o mercado permanece atento aos resultados financeiros das empresas, bem como nos novos negócios que estão sendo anunciados. O dólar opera em queda.

Commodities

O petróleo referência Brent opera em alta de 1,73% aos US$45,17 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI seguia em alta de 1,22% aos US$42,45 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do ouro segue em queda de 4,31% a US$1.951,70 a onça na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 1,58% a US$121,09 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios de casas de análises e agências internacionais

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?