Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Mercados acionários, moedas e agendas neste momento

Data de criação:

access_time 14/08/2020 - 12:33

Data de atualização:

access_time 14/08/2020 - 12:33
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta sexta-feira (14/08).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,19% aos 25.183. O índice Xangai, China, ficou em alta de 1,19% aos 3.360. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 2.244. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,17% aos 25.183. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,56% aos 2.581. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 1,23% aos 2.407. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 1,13% aos 37.877. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,25% aos 12.795. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,58% aos 6.126.

As bolsas asiáticas ficaram sem direção nesta sexta-feira, com os investidores atentos aos dados da economia chinesa e do Japão também. Entretanto, o radar na sai dos Estados Unidos. A economia da China segue dando sinais de recuperação, porém, mais lenta que o esperado.  Os dados divulgados pelo Departamento Nacional de Estatísticas revelaram que as vendas no varejo caíram 1,1% em julho em relação ao ano anterior. Em junho, a queda foi de 1,8% e 2,8% em maio. No Japão, o terceiro índice de atividade industrial ficou em 93,9 em junho, 7,9% em relação ao mês anterior, subindo pela primeira vez em cinco meses. O setor de Serviços subiu 92,3 em junho a 12,3% pela primeira vez em cinco meses. Os serviços empresariais, amplamente definidos, subiram pela primeira vez em cinco meses para 95,5, ou seja, 5,1%.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 estava em queda de 1,20% aos 368.06 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em queda de 1,57% aos 6.088 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) segue em queda de 0,80% aos 12.890 pontos; o CAC 40 (Paris) segue em queda de 1,59% a 4.960 pontos; o FTSE-MIB (Milão) segue em queda de 1,21% aos 20.012 pontos; o Ibex 35 (Madri) estava em queda de 1,28% a 7.157 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em queda de 0,81% a 4.442 pontos.

As bolsas da Europa dão sinais de fechamento em queda nesta sexta-feira. O dia de agenda carregada pesa, bem como o impasse na decisão do Reino Unido em incluir a França e a Holanda à sua lista de quarentena. A partir de amanhã, os viajantes que chegam ao Reino Unido vindos desses países serão obrigados ao isolamento de 14 dias. A pandemia segue em nova onda na região. Além disso, as atenções ficaram nos indicadores econômicos da China, na falta de acordo no Congresso americano sobre o pacote de estímulo e os investidores estão ansiosos para videoconferência entre representantes da China e dos Estados Unidos na nova rodada de discussões do acordo comercial Fase 1, que começa amanhã. As moedas estão operando com ganhos.

ESTADOS UNIDOS – Há pouco, o Dow Jones seguia estável aos 27.903 pontos; o S&P seguia estável aos 3.374 pontos; e o Nasdaq seguia em queda de 0,33% aos 11.007 pontos.

Os índices de peso na bolsa de Nova York ainda estão buscando uma posição, com os investidores analisando os dados econômicos apresentados para a China, Japão, Europa e Estados Unidos. As vendas de varejo cresceram 1,2 % em julho, abaixo das expectativas, mas impulsionada por revisões em relação aos meses anteriores. Todos os olhos estão voltados para os padrões de consumo e trabalho do consumidor, agora que o alívio fiscal expirou e as negociações para uma extensão estão complicadas em Washington. Até o dia 31 de julho, os americanos estavam recebendo US$600 por semana, o presidente Donald Trump assinou uma ordem executiva de US$400 e que sofre pressão dos congressistas. O índice DXY está em queda de 0,22% a 93,13.

BRASIL: Ibovespa opera em alta de 0,97% aos 101.432 pontos. O dólar comercial em alta de 0,46% aos R$5,392 para a venda.

A bolsa de valores de São Paulo segue em recuperação nesta sexta-feira, descolada do mau humor externo. O radar está na temporada de resultados financeiros, bem como no front político, depois que o presidente Jair Bolsonaro despertou dúvidas sobre o teto de gastos. A safra de resultados corporativos está repleta, sendo os destaques os balanços do Banco Inter, Suzano, B3, JBS, Randon, entre outros. Por fim, o IBC-BR veio em forte queda no segundo trimestre, mas nada de surpresas. O dólar dá sinais de fechamento em alta.

Commodities

O petróleo referência Brent opera em queda de 0,44% aos US$44,76 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI seguia em queda de 0,43% aos US$42,06 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do ouro segue em queda de 0,78% a US$1.955,00 a onça na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 0,87% a US$122,44 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios de casas de análises e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?