Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Movimentos das bolsas de ações e moedas

Data de criação:

access_time 23/01/2020 - 10:58

Data de atualização:

access_time 23/01/2020 - 10:58
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta quinta-feira (23/01/20).

ÁSIA – Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 1,52% a 27.909 e o índice Shenzhen Composite ficou em queda de 3,45% a 1.756. O índice Xangai ficou em queda de 2,75% a 2.976. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,60% a 3.234. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,98% aos 23.795. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,63% a 7.088. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 0,93% a 2.246. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,66% aos 41.386. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,24% aos 12.118. O índice MSCI Asia Pacific caiu 0,70%.

Na Ásia, as bolsas fecharam em queda. As piores perdas ocorreram nos mercados da China, com o índice Xangai Composto recuando quase 3%. O temor do avanço do cornavírus fez o governo da China isolar a cidade de Wuhan e suspender todas as comemorações do Ano Novo Lunar, que começa no próximo sábado (25). Como milhões de chineses tradicionalmente viajam nesta época do ano, há temores de aumento da infecção. Nesta sessão, o Japão divulgou a balança comercial.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em queda de 0,39% aos 421.37 em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em queda de 0,38% aos 7.543; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em queda de 0,46% a 13.454; o CAC 40 (Paris) seguia em queda de 0,10% a 6.004; o FTSE-MIB (Milão) seguia em alta de 0,47% aos 23.816; o Ibex 35 (Madri) seguia em queda de 0,08% a 9.566; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em queda de 0,17% a 5.254.

Na Europa, os temores de uma maior disseminação do coronavírus derrubam as ações de turismo e mineradoras. Os investidores também continuam acompanhando a reunião anual do Fórum Econômico Mundial em Davos, Suíça, e aguardam a decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE). A agenda local está vazia.

ESTADOS UNIDOS: O Dow Jones (futuros) seguia em queda de 0,27% aos 29.060 pontos. O S&P (futuros) seguia em queda de 0,19% aos 3.313 pontos. O Nasdaq (futuros) seguia em queda de 0,09% aos 9.187 pontos.

No mercado americano, os futuros de ações operam no negativo, em meio à aversão ao risco causada pelos temores de uma pandemia. As ações das empresas relacionadas ao turismo estão recuadas em todos os mercados acionários e a tendência deverá ser mantida em Wall Street. O índice DXY permanece estável. O dia é de agenda fraca.

BRASIL: O Ibovespa abriu em queda de 0,99% aos 117.216 pontos. O dólar comercial segue em queda de 0,08% aos R$4,172 para a venda.

No Brasil, o IBGE divulgou o IPCA-15 de janeiro, o último levantamento considerando a cesta básica montada em 2012. O indicador eleva as apostas de corte na taxa Selic na reunião de fevereiro, levando a quedas nos contratos mais curtos da curva de juros futuros. A bolsa deverá manter a cautela com o movimento internacional. O Fórum Econômico Mundial  deve permanecer no radar.

Commodities

Os futuros de petróleo operam em baixa nesta manhã com a disseminação do coronavírus. O temor é de um comprometimento no crescimento global. Para hoje, a Agência de Energia dos Estados Unidos divulga os estoques de petróleo.

O petróleo referência Brent segue em queda de 1,70% a US$61,36 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI segue em queda de 1,80% aos US$55,72 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 3,35% aos US$93,44 a tonelada seca e com 62% de pureza.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?