Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Movimentos das bolsas de ações e moedas

Data de criação:

access_time 05/02/2020 - 10:51

Data de atualização:

access_time 05/02/2020 - 10:51
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta quarta-feira (05/02/20).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 0,42% a 26.786 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 2,48% a 1.678. O índice Xangai ficou em alta de 1,25% a 2.818. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 1,38% a 3.200. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 1,02% aos 23.319. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,37% a 6.948. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,36% a 2.165. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,87% aos 41.1429. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,15% aos 11.573.

As bolsas asiáticas fecharam em alta, apesar das preocupações com a epidemia de coronavírus. O índice regional MSCI Asia Pacific subiu 0,70% no pregão de hoje. Os investidores receberam bem a decisão do Banco do Povo da China – PboC  em injetar US $ 57 bilhões em seus mercados (nos últimos dois dias foram US$ 242 bilhões no mercado financeiro). O índice dos gerentes de compras (PMI) de serviços chinês recuou. Nos demais mercados não foram apresentados indicadores.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em alta de 1,20% aos 423.48 em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em alta de 0,65% aos 7.488; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em alta de 1,22% a 13.444; o CAC 40 (Paris) seguia em alta de 0,92% a 5.989; o FTSE-MIB (Milão) seguia em alta de 1,28% aos 24.153; o Ibex 35 (Madri) seguia em alta de 1,15% a 9.674; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em alta de 0,68% a 5.300.

Na Europa, as bolsas estão dando sinais de fechamento no azul. O temor com o avanço do vírus da China permanece, entretanto os investidores seguem atentos para os PMIs, para a temporada de balanços e também dos acontecimentos políticos dos Estados Unidos. Wall Street é destaque com novos recordes e ditando o comportamento dos demais mercados. As moedas estão sem direção.

ESTADOS UNIDOS: O Dow Jones (futuros) seguia em alta de 0,80% aos 29.018 pontos. O S&P (futuros) seguia em alta de 0,77% aos 3.325 pontos. O Nasdaq (futuros) seguia em alta de 0,94% aos 9.451 pontos.

No mercado americano, os futuros de ações da bolsa de Nova York operam em alta acompanhando a tendência positiva das bolsas asiáticas e europeias. Os investidores também prestarão atenção na divulgação do balanço trimestral da GM e nos dados sobre criação de empregos pelo setor privado, balança comercial e atividade do setor de serviços. O dólar se mantém estável em relação a uma cesta de moedas fortes. As discussões políticas seguem entre os destaques, depois do pronunciamento do presidente Donald Trump.

BRASIL: O Ibovespa opera em alta de 1,67% aos 117.484 pontos. O dólar comercial segue em queda de 0,63% aos R$4,231 para a venda.

No mercado doméstico, o foco está na reunião do Copom, que deve anunciar a nova Selic, bem como o IC-Br. Os PMIs também serão apresentados pela IHS/Markit. O coronavírus está no foco central, com o governo repatriando brasileiros de Wuhan, China, com o envio de duas aeronaves ainda hoje. A decisão só foi possível com a criação de Lei, aprovada pela Câmara e com definição do Congresso. As demais notícias vindas de Brasília seguem no destaque.

Commodities

O petróleo referência Brent segue em alta de 1,05% a US$55,08 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI segue em alta de 2,94% aos US$51,07 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 2,93% aos US$81,31 a tonelada seca e com 62% de pureza.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?