Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Movimentos das bolsas de ações e moedas

Data de criação:

access_time 06/02/2020 - 12:03

Data de atualização:

access_time 06/02/2020 - 12:03
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta quinta-feira (06/02/20).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 2,64% a 27.493 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 2,90% a 1.727. O índice Xangai ficou em alta de 1,72% a 2.866. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,98% a 3.231. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 2,38% aos 23.873. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em alta de 1,05% a 7.049. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 2,88% a 2.227. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,40% aos 41.306. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 1,52% aos 11.749.

As bolsas asiáticas fecharam em alta, a sequência pelo terceiro dia. O bom humor segue com os pesquisadores do mundo tentando encontrar medicamentos e vacinas contra o coronavírus. O índice MSCI Asia Pacific fechou em alta de 1,3%. Hoje Pequim, num movimento inesperado, decidiu cortar pela metade as tarifas em US $ 75 bilhões em mercadorias dos Estados Unidos. Além disso, são esperados anúncios de redução de impostos e a oferta de empréstimos a juros baixos para ajudar as empresas a absorver o impacto da epidemia provocada pelo coronavírus. O esforço do governo chinês está motivando as compras nos mercados globais. A região apresentou indicadores.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em alta de 0,37% aos 425.22 em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em alta de 0,36% aos 7.509; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em alta de 0,71% a 13.572; o CAC 40 (Paris) seguia em alta de 0,76% a 6.030; o FTSE-MIB (Milão) seguia em alta de 0,98% aos 24.473; o Ibex 35 (Madri) seguia em alta de 0,81% a 9.796; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em estável a 5.300.

Na Europa, investidores acompanham as bolsas asiáticas e dão sinais de fechamento em campo positivo. As preocupações seguem com os impactos do coronavírus sobre a economia global. Entretanto, laboratórios do Reino Unido estão avançando nas pesquisas para isolar o vírus e, ao mesmo tempo, tentando desenvolver vacinas e medicação para o combate. A região divulgou indicadores.

ESTADOS UNIDOS: O Dow Jones opera em alta de 0,06% aos 29.311 pontos. O S&P opera em alta de 0,08% aos 3.337 pontos. O Nasdaq opera em alta de 0,36% aos 9.545 pontos.

Os índices de peso de Wall Street abriram de lado e ganham força nesta quinta-feira. A volatilidade e a realização de lucros deverão predominar, depois dos recordes de ontem. Em dia de agenda importante, os investidores permanecem atentos às medidas de combate ao coronavírus, bem como para as decisões vindas de Pequim para amortizar os efeitos na economia. Além disso, em plena temporada de resultados financeiros, os negociadores também estão digerindo os primeiros movimentos da campanha presidencial. O índice DXY, que acompanha o valor da divisa americana ante a uma cesta de moedas, segue em queda.

BRASIL: O Ibovespa opera em alta de 0,78% aos 116.929 pontos. O dólar comercial segue em alta de 0,27% aos R$4,250 para a venda.

A bolsa de valores de São Paulo, que abriu em alta, segue recuando e o dólar avançando. O movimento de Wall Street também deverá pesar por aqui. O mercado doméstico segue digerindo a decisão do Copom, que reduziu 0,25 p.p. na taxa básica de juros, a Selic, que agora está em 4,25%. No comunicado, a autoridade monetária destacou a probabilidade de manter a taxa por longo período, como vem sinalizando o Boletim Focus. Porém, deixou a brecha para novos estímulos, caso o cenário mude, principalmente neste momento de cautela global com o avanço do vírus e com a China já sinalizando contração econômica. O dólar segue estressado.

Commodities

O petróleo referência Brent segue em queda de 2,84% a US$54,38 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI segue em queda de 0,33% aos US$50,58 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 2,29% aos US$81,17 a tonelada seca e com 62% de pureza.

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?