Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Movimentos das bolsas de ações e moedas

Data de criação:

access_time 09/01/2020 - 10:38

Data de atualização:

access_time 09/01/2020 - 10:38
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta quinta-feira (09/01/19). Todas as bolsas operam no azul, os preços do petróleo despencam. O índice de metais também recua.

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 1,68% a 28.561 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,75% a 1.800. O índice Xangai ficou em alta de 0,91% a 3.094. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou estável a 3.247. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 2,31% aos 23.739. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,83% a 6.874. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 1,63% a 2.186. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 1,55% aos 41.452. O índice regional MSCI Asia Pacific subiu 1,3% no pregão de hoje.

Na Ásia, mercados de ações fecharam em alta generalizada. O bom humor se deu com a queda na tensão entre os Estados Unidos e o Oriente Médio. Além disso, o Ministério de Comércio da China reafirmou que a delegação do país, encabeçada pelo vice primeiro ministro Liu He, seguirá para Washington no dia 13 para assinatura do acordo comercial “Fase 1” com os Estados Unidos. O dólar subiu diante da moeda japonesa. Na China foram apresentados indicadores.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em alta de 0,21% aos 419.23 em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em alta de 0,39% aos 7.604; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em alta de 1,07% a 13.464; o CAC 40 (Paris) seguia em alta de 0,15% a 6.040; o FTSE-MIB (Milão) seguia em alta de 0,72% aos 24.005; o Ibex 35 (Madri) seguia em queda de 0,08% a 9.583; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em alta de 0,19% a 5.236.

Na Europa, os mercados operam em alta, com alguns índices em recorde, ante o alívio discreto das tensões entre os Estados Unidos e o Oriente Médio. Indicadores da região estão no radar. As moedas operam em alta ante o dólar.

ESTADOS UNIDOS: O Dow Jones (futuros) seguia em alta de 0,30% aos 28.856 pontos. O S&P (futuros) seguia em alta de 0,28% aos 3.269 pontos. O Nasdaq (futuros) seguia em alta de 0,44% aos 8.985 pontos.

Os futuros de Wall Street dão sinais de abertura em campo positivo. O índice DXY segue em alta. O que se espera são mais decisões por parte dos Estados Unidos, mas recebidas com hostilidade por parte do Irã. No pronunciamento de ontem, o presidente dos Estados Unidos Donald Trump preferiu evitar uma escalada no conflito, mas destacou impor mais sanções econômicas ao Irã. A agenda econômica e as declarações de membros do Federal Reserve estão no radar.

BRASIL: O Ibovespa abriu em alta de 0,22% aos 116.506 pontos. O dólar comercial segue em alta de 0,38% aos R$4,067 para a venda.

A bolsa brasileira abriu em alta nesta quinta-feira, com os investidores partindo para o risco na carona com os demais globais. A fala do presidente Donald Trump sobre o conflito com o Irã, que aconteceu na tarde desta quarta-feira, foi bem aceito pelos analistas globais. Porém, a cautela permanece com o Irã não muito “amigável”. A agenda econômica está praticamente vazia, com o IBGE mostrando queda em 1,2% na Produção Industrial do Brasil no mês de novembro de 2019.

Commodities

O petróleo referência Brent segue em queda de 1,68% a US$67,19 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI segue estável aos US$59,64 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 1,92% aos US$94,37 a tonelada seca e com 62% de pureza.

O preço da onça do ouro está em queda de 0,40% a US$1.554,00, com o índice de metais recuado em 1,67% a 28,29 pontos em Nova York.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?