Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Movimentos das bolsas de ações e moedas

Data de criação:

access_time 20/02/2020 - 11:40

Data de atualização:

access_time 20/02/2020 - 11:40
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta quinta-feira (20/02/20).

ÁSIA – Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em queda de 0,17% a 27.609 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 2,15% a 1.886. O índice Xangai ficou em alta de 1,84% a 3.030. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,53% a 3.213. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,34% aos 23.479. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,25% a 7.162. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 0,13% a 2.195. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,37% aos 41.170. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,29% aos 11.725.

A bolsas de ações ficaram divididas. O índice MSCI Asia Pacific fechou o dia perto da estabilidade. Na China, o banco central chinês (PBoC) cortou a taxa de empréstimo de cinco anos, de 4,80% em janeiro para 4,75% em fevereiro, depois de ter reduzido os juros de curto prazo na semana passada. A agenda estava com poucos indicadores.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em queda de 0,52% aos 431.65 em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia estável aos 7.457; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em queda de 0,27% a 13.752; o CAC 40 (Paris) seguia em queda de 0,28% a 6.094; o FTSE-MIB (Milão) seguia em queda de 0,98% aos 25.226; o Ibex 35 (Madri) seguia em queda de 0,93% a 9.991; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em queda de 0,26% a 5.421.

Na Europa, as bolsas e ações operam com perdas, com o COVID-19 no foco central. A temporada de balanços da região vem apresentando resultados abaixo do esperado e, com isso, contaminando o humor dos negociadores. A agenda também apresenta dados relevantes do Reino Unido, Alemanha e França. As moedas estão com ganhos.

ESTADOS UNIDOS: O Dow Jones abriu em queda de 0,13% aos 29.310 pontos. O S&P opera em alta de 0,47% aos 3.386 pontos. O Nasdaq opera em queda de 0,16% aos 9.801 pontos.

A bolsa de Nova York abriu sem direção nesta quinta-feira. O dia de poucos indicadores deverá contribuir para o avanço dos índices, embora com o radar na reta final da temporada de resultados. O clima político também já esquenta em território norte-americano, depois do debate de ontem entre os presidenciáveis. O índice DXY, que compara o comportamento de seis moedas ante o dólar, segue buscando os 100 pontos. Há pouco, perto da estabilidade, o índice estava em 99,70. O destaque da agenda fica para o estoque de petróleo.

BRASIL: O Ibovespa opera em queda de 0,62% aos 115.797 pontos. O dólar comercial opera em alta de 0,12% aos R$4,371 para a venda.

O mercado financeiro doméstico segue operando com atenção, com os investidores analisando os balanços financeiros da Petrobras, Marfrig, entre outras. Na agenda, o IBGE divulgou o IPCA-15 de fevereiro, prévia da inflação oficial do mês. Já a FGV/IBRE apresentou os dados da inflação do consumidor, bem como os das exportações e importações. Ainda sobre os resultados financeiros, a Vale também apresenta os números nesta quinta-feira. Em clima de Carnaval, a Reforma Administrativa ficou para depois. O dólar comercial segue em alta.

Commodities

O petróleo referência Brent opera em alta de 0,4% a US$60,82 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI segue em alta de 1,28% aos US$53,97 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do ouro segue em alta de 0,22% a US$1.615,47 a onça na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 2,23% aos US$92,01 a tonelada seca e com 62% de pureza.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?