Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Movimentos das bolsas de ações e moedas

Data de criação:

access_time 27/02/2020 - 12:25

Data de atualização:

access_time 27/02/2020 - 12:25
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta quinta-feira (27/02/20).

ÁSIA – Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em alta de 0,31% a 26.778 e o índice Shenzhen Composite ficou em queda de 0,24% a 1.895. O índice Xangai ficou em alta de 0,11% a 2.991. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,19% a 3.111. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 2,13% aos 21.948. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,75% a 6.657. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 1,05% a 2.054. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,36% aos 39.745. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 1,24% aos 11.292.

As bolsas de ações fecharam em queda nesta quinta-feira, a sexta consecutiva e pela primeira vez desde dezembro de 2018. Os temores de que a propagação do coronavírus se transforme em uma pandemia, colocando em risco o crescimento da economia mundial, afastam os investidores de ativos de maior risco. Hoje o Banco Central da Coreia do Sul (BoK) decidiu manter sua taxa básica de juros no atual nível de 1,25%. A agenda da região estava vazia.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em queda de 3,84% aos 389.10 em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em queda de 3,26% aos 6.812; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em queda de 3,55% a 12.321; o CAC 40 (Paris) seguia em queda de 3,78% a 5.469; o FTSE-MIB (Milão) seguia em queda de 2,93% aos 22.728; o Ibex 35 (Madri) seguia em queda de 3,53% a 8.987; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em queda de 3,32% a 4.940.

As bolsas de ações estão sinalizando para o fechamento no vermelho, uma das maiores perdas nos últimos meses, com o avanço da doença COVID-19. A rápida propagação do coronavírus para além das fronteiras da China, atingiu a Coreia do Sul, Itália, Irã e América do Sul. Na Europa, o foco central está na Itália. Em dia de poucos indicadores, as atenções seguem na doença e, principalmente, nas medidas das autoridades de saúde. As moedas estão divididas, com o euro subindo e a libra caindo.

ESTADOS UNIDOS: O Dow Jones opera em queda de 2,02% aos 26.380 pontos. O S&P opera em queda de 2,36% aos 3.041 pontos. O Nasdaq opera em queda de 2,85% aos 8.723 pontos.

A bolsa de Nova York opera em queda, com os investidores analisando os números da doença, as medidas e os desembolsos que o governo norte-americano definiu para combater e proteger os cidadãos do País. As ações das companhias aéreas, de turismo e de cruzeiros estão escorregando. Muitas empresas americanas com operações na China também estão orientando os colaboradores como proceder na prevenção de contágio. O índice de dólar segue em queda e os títulos estão misturados. Na agenda constam indicadores econômicos.

BRASIL: Ibovespa opera em queda de 1,71% aos 103.908 pontos. O dólar comercial opera em alta de 1,16% aos R$4,495 para a venda.

Por aqui, além dos ruídos promovidos por parte da imprensa no front político, as atenções seguem no coronavírus. O primeiro caso do Brasil está sendo monitorado pelas autoridades de saúde. O dólar segue engolindo o real, em dia de agenda vazia. A temporada de balanços está no radar.

Commodities

O petróleo referência Brent opera aos US$55,97 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI seguia em queda de 4,82% aos US$46,38 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do ouro segue em alta de 0,77% a US$1.655,80 a onça na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 2,70% aos US$85,72 a tonelada seca e com 62% de pureza.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?