Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Movimentos das bolsas de ações e moedas

Data de criação:

access_time 06/01/2020 - 13:06

Data de atualização:

access_time 06/01/2020 - 14:06
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta segunda-feira (06/01/19).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,79% a 28.226 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,44% a 1.768. O índice Xangai ficou estável a 3.083. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,62% a 3.218. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 1,91% aos 23.204. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou estável a 6.735. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 0,98% a 2.155. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 1,90% aos 40.676. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 1,30% a 11.953. O índice MSCI Asia Pacific registrou perda de 1%, a maior desde 26 de agosto.

Na Ásia, as bolsas locais fecharam no vermelho nesta segunda-feira. A cautela se deu com o aumento da tensão no Oriente Médio, com os Estados Unidos elevando a pressão sobre o Irã e Iraque. O conflito começou na quinta-feira (02) com a morte do general Qassem Soleimani, chefe da Força Quds de elite do Irã, em um ataque aéreo no aeroporto internacional de Bagdá. Além disso, as atenções se voltaram para os indicadores do Japão e da China. Todos as atenções estão concentradas no aumento dos preços do petróleo e uma possível retaliação mais pesada contra os Estados Unidos.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em queda de 0,51% aos 419.25 em Londres; o FTSE-100 (Londres) seguia em queda de 0,59% aos 7.577; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em queda de 0,76% a 13.118; o CAC 40 (Paris) seguia em queda de 0,60% a 6.007; o FTSE-MIB (Milão) seguia em queda de 0,53% aos 23.577; o Ibex 35 (Madri) seguia em queda de 0,41% a 9.607; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em queda de 0,21% a 5.231.

Na Europa, bolsas europeias dão sinais de fechamento no vermelho, com os investidores acompanhando e tentando avaliar as futuras consequências do ataque aéreo do Estados Unidos que matou o principal líder militar iraniano. Nesta manhã, o mundo acompanha o funeral de Qassem Soleimani, chefe da Força Quds de elite do Irã. Sobre a economia, o IHS Markit divulgou os índices de gerentes de compras (PMIs) finais de dezembro da região do euro. As moedas seguem estressadas e com o dólar ganhando força.

ESTADOS UNIDOS: O Dow Jones seguia em queda de 0,33% aos 28.541 pontos. O S&P seguia em queda de 0,17% aos 3.229 pontos. O Nasdaq seguia em alta de 0,11% aos 9.030 pontos.

A bolsa de Nova York opera em queda nesta segunda-feira, porém, com o índice Nasdaq avançando. O que se vê é cautela ante o conflito gerado pelos Estados Unidos contra o Irã / Iraque. As ameaças contra os dois países do Oriente Médio prosseguem, com o governo de Donald Trump prometendo sanções. Os investidores estão diversificando a compra de ativos, elevando os Treasuries e derrubando o seu yield. O dólar enfraquece frente às moedas fortes, principalmente o iene e o franco suíço, e o ouro segue em escalada de alta. A agenda americana está enfraquecida.

BRASIL: O Ibovespa opera em queda de 0,55% aos 117.064 pontos. O dólar comercial segue em queda de 0,14% aos R$4,049 para a venda.

A bolsa de valores de São Paulo está de lado nesta segunda-feira. A cautela também segue com os demais mercados e a aversão ao risco é alimentada pelas incertezas geradas pelo conflito entre americanos e iranianos no Oriente Médio. A agenda enfraquecida está permitindo também ajustes técnicos, um pouco de realização e atenção para notícias vindas de Brasília sobre a posição do governo brasileiro ante o conflito e também para com os preços do petróleo.

Commodities

Nesta segunda-feira, o petróleo opera com forte alta impulsionado pela escalada das tensões nos Oriente Médio. Apesar das especulações, o preço do barril segue distante dos US$100,00.

O petróleo referência Brent segue em alta de 1,69% a US$71,48 o barril negociado na bolsa de Futuros de Londres.

O petróleo WTI segue em alta de 0,63% aos US$63,41 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 1,07% aos US$95,61 a tonelada seca e com 62% de pureza.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?