Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos despencam com avanço do coronavírus

Data de criação:

access_time 28/02/2020 - 09:42

Data de atualização:

access_time 28/02/2020 - 09:42
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de ações asiáticas despencaram nesta sexta-feira, com o índice Nikkei corrigindo. Os temores por conta da doença pressionaram por mais um dia os índices mais importantes do continente. Enquanto isso, os governos correm contra o tempo para evitar ainda mais a disseminação da doença COVID-19.

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em queda de 2,42% a 26.129 e o índice Shenzhen Composite ficou em queda de 4,93% a 1.801. O índice Xangai ficou em queda de 3,71% a 2.880. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 3,23% a 3.011. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 3,67% aos 21.142. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 3,25% a 6.441. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 3,30% a 1.987. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 3,64% aos 38.297. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 1,24% aos 11.292.

O Nikkei derreteu, com o índice corrigindo 10,8% em relação às máximas recentes. Embora novos dados mostrem que a produção manufatureira do Japão subiu mais do que o esperado em janeiro.

O primeiro-ministro Shinzo Abe prometeu nesta sexta-feira que estava disposto a tomar medidas políticas para evitar danos econômicos. “Se os desenvolvimentos mudarem, garantiremos que sejam tomadas as medidas necessárias para impedir que o vírus se torne um enorme risco negativo para a economia do Japão”, disse ao parlamento, informou a Reuters.

Na quinta-feira, Abe pediu a todas as escolas do Japão que fechassem por um mês em um esforço para impedir a propagação do vírus. Nesta sexta-feira, a operadora Oriental Land Co, da Tokyo Disney Resort, disse que fecharia seus parques temáticos por duas semanas, mediante solicitação do governo para cancelar ou adiar grandes eventos públicos.

Novos casos de COVID-19 surgiram em todo o mundo nos últimos dias, com o comércio e a indústria ameaçados por quarentenas e paralisações em massa.

Nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump disse que estava disposto a gastar “o que for apropriado” para combater o vírus, depois que o líder democrata do Senado, Chuck Schumer, de Nova York, sugeriu US $ 8,5 bilhões em vez dos US $ 2,5 bilhões solicitados. O presidente destacou o vice-presidente Mike Pence para comandar todo o processo de monitoramento.

No Japão, entre as ações com perdas ficaram as da Hitachi, queda de 5,83%, as do SoftBank, queda de 4,31%, as da Toyota, queda de 3,48%, e as da Sony perderam 3,87%.

Em Hong Kong, as ações da fabricante de componentes da Apple AAC caíram 6,59%, juntamente com a Geely Automobile, queda de 5,97%, a produtora de petróleo CNOOC, queda de 4,47%, e as da Wharf Real Estate, recuo de 6,23%.

Na Coreia do Sul, as ações da Samsung recuaram 3,04% e as da LG Electrionics perderam 3,21%.

Na Austrália, as ações da BHP caíram 4,52%, as da Rio Tinto perderam 3,47% e as da National Australia Bank perderam 3,05%.

Tradução ID com relatórios oficiais e agências internacionais como a Associated Press

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?