Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos devolvem com a China se preparando para Ano Novo Lunar

Data de criação:

access_time 04/02/2021 - 10:28

Data de atualização:

access_time 04/02/2021 - 10:28
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Parte das bolsas da Ásia devolveu as altas dos últimos dias nesta quinta-feira (04). O índice regional MSCI Asia Pacific caiu 0,6%. A notícia de que diversas empresas não conseguirão atender a demanda por semicondutores levou a queda no setor de tecnologia. Já a China se prepara para as festividades do Ano Novo Lunar na próxima semana.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em queda de 0,66% aos 29.113 pontos. O índice Xangai, China, ficou em queda de 0,44% aos 3.501. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 1,16% a 2.353 e o ChiNext (ETF) ficou em queda de 0,74%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 1,06% aos 28.341. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,75% aos 2.905. O índice Sensex, bolsa de Mumbai, Índia, ficou em alta de 0,71% aos 50.614. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,87% aos 6.765. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 1,35% a 3.087 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou em queda de 0,41% aos 15.706 pontos.

Na China, a queda nas ações de baixa capitalização deixou muitos investidores de varejo alimentando perdas. Os investidores tradicionais migraram para as com mais peso nos índices. A cautela também ocorreu com a proximidade do feriado do Ano Novo Lunar, que começa na semana que vem.

Como ocorreu na semana passada, quando aquele grupo no fórum  Reddit/wallstreetbets derrubou os touros de Wall Street, agora tem sido tendência na plataforma de mídia social Weibo, China, nos últimos dias. Os pequenos negociadores estão engolindo os grandes.

Na Índia, o índice Sensex, bolsa de Mumbai, fechou em alta com o governo local anunciando um pacote de estímulo fiscal para amparar os cidadãos e as empresas dos efeitos promovidos pela pandemia de coronavírus.

Em Tóquio, entre as ações com ganhos estavam as da Sony Corp., alta de 9,54%, as da Hitachi, alta de 4,71%, e as da Nippon Yusen, alta de 4,30%.

Na China, o comércio de serviços caiu em 2020 devido à epidemia da COVID-19, entre outros fatores, mas o déficit comercial continuou a diminuir drasticamente, mostraram dados do Ministério do Comércio divulgados hoje.

O volume do comércio de serviços do país ultrapassou 4,56 trilhões de yuans (US$ 705,83 bilhões) no ano passado, uma queda anual de 15,7%.

As exportações de serviços do país apresentaram um desempenho melhor que as importações, com o déficit comercial de serviços diminuindo 53,9% em termos anuais, para 692,93 bilhões de yuans em 2020.

A entidade destacou o forte crescimento do comércio de serviços intensivos em conhecimento da China, que aumentou 8,3% anualmente no período, respondendo por 44,5% do total do comércio de serviços.

*Tradução ID com a Ag. Xinhua da China

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?