Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos ficam em campo positivo e COVID-19 faz mais vítimas na China

Data de criação:

access_time 12/02/2020 - 09:46

Data de atualização:

access_time 12/02/2020 - 09:46
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados asiáticos renovaram as compras nesta quarta-feira. Os investidores estão atentos para as declarações das autoridades de saúde sobre os últimos números do COVID-19, denominação do coronavírus. O foco permanece no governo da China e o anúncio de novas medidas econômicas. O Japão voltou do feriado.

O índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em alta de 0,87% a 27.823 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,55% a 1.758. O índice Xangai ficou em alta de 0,87% a 2.926. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 1,51% a 3.223. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,74% aos 23.861. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,47% a 7.088. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,69% a 2.238. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,85% aos 41.565. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,94% aos 11.774.

Os dados oficiais mostraram que 2.015 novos casos foram relatados na China nas últimas 24 horas, número que diminuiu pelo segundo dia consecutivo. Com isso, o número de infectados alcançou 44.653, enquanto o de vítimas fatais aumentou para 1.113. O número de casos em todo o mundo é de cerca de 45.000, exceto algumas centenas na China.

Hoje, depois de sucessivas perdas, as operadoras de cruzeiros, hotéis e outras empresas que se concentram em viagens obtiveram ganhos sólidos, o mais recente sinal de que os comerciantes estão se sentindo menos preocupados com o impacto econômico do surto de vírus.

Em Tóquio, entre as ações com ganhos ficaram as do SoftBank Group Corp., alta de 11,89%, as do Credit Saison Co., alta de 4,70%, as da Tokyo Electron, alta de 3,49%. Na contramão ficaram as da Japan Steel Works, queda de 7,89%, as da Kajima Corp., queda de 4,77%, e as da Sumitomo Osaka Cement Co., queda de 4,60%.

Em Hong Kong, entre as ações com ganhos ficaram as da Galaxy Entertainment Group, ganho de 4,40%, as da Sands China, alta de 3,84%, as da China Life Insurance Co., alta de 1,75%. Na contramão ficaram as ações da Sino Land Co., queda de 0,37%, as da China Mobile, queda de 0,15%, e as da Hengan International Group., queda de 0,64%.

Na Austrália, as apesar da melhora modesta neste mês, o sentimento do consumidor permanece fraco no geral. Em 95,5, o Índice permanece bem abaixo da média de longo prazo de 101,4 e firmemente em território pessimista (leituras abaixo de 100 indicam que os pessimistas superam os otimistas).

Esse clima sombrio prevaleceu desde meados de 2019 e coincidiu com uma desaceleração acentuada na demanda do consumidor, que parece ter ocorrido no início de 2020. O aumento do sentimento neste mês provavelmente reflete uma diminuição das preocupações com incêndios florestais e ocorre apesar de alguns desenvolvimentos negativos significativos, principalmente o surto de coronavírus no exterior.

Tradução ID de agências e relatórios internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?