Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos ficam no azul e China se prepara para o feriado

Data de criação:

access_time 10/02/2021 - 09:51

Data de atualização:

access_time 10/02/2021 - 09:51
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas na Ásia fecharam com ganhos nesta quarta-feira (10), com a China se preparando para o feriado do Ano Novo Lunar. As altas ocorreram depois que os dados de inflação revelaram que a segunda maior economia do mundo está ganhando tração.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em alta de 1,91% aos 30.038 pontos. O índice Xangai, China, ficou em alta de 1,43% aos 3.655. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,75% a 2.460 e o ChiNext (ETF) ficou em alta de 2,26%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,19% aos 29.562. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,32% aos 2.925. O índice Sensex, bolsa de Mumbai, Índia, ficou estável aos 51.309. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,52% aos 6.856. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,52% a 3.100 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou em alta de 0,61% aos 15.802 pontos.

O mercado de ações da China estará fechado de quinta-feira a 17 de fevereiro e retomará as negociações em 18 de fevereiro de 2021, o que deverá tirar a pressão dos demais da região.

No Japão, as ações também avançaram, com os resultados positivos da montadora Honda Motor, com as ações ganhando 5,14%. Na mesma linha seguiram as ações da Sumitomo Osaka Cement, alta de 8,62%. As ações da FujiFilm Holding subiram 4,74%. Na contramão ficaram as ações da Japan Tobacco, queda de 7,46%, as da Nexon, queda de 6,50%, e as da Mitsubishi Materials, queda de 2,81%.

Na China, o índice de preços ao produtor (PPI) subiu pela primeira vez em um ano devido a um aumento na demanda, enquanto a recuperação econômica continuava e as fábricas repassavam a alta dos preços dos insumos. Os dados são do Governo Chinês nesta quarta-feira (10).

O PPI, refletindo os preços que as fábricas cobram dos atacadistas por seus produtos, subiu para 0,3% em janeiro em relação ao ano anterior, em comparação com menos 0,4% em dezembro. O resultado é o primeiro positivo pela última vez em janeiro de 2020, quando estava em 0,1% antes do impacto total do coronavírus.

O índice oficial de preços ao consumidor (CPI) da China caiu para menos 0,3% em janeiro em relação ao ano anterior, de 0,2% em dezembro, de acordo com dados divulgados pelo National Bureau of Statistics (NBS).

Os preços crescentes no portão da fábrica indicados pelo aumento no PPI foram sugeridos pelos índices dos gerentes de compras (PMI) recentes.

No Japão, o Índice de Preços do Produtor subiu 0,4% em relação ao mês anterior. O Índice de Preços de Exportação (moeda de contrato com base) aumentou 0,9% em relação ao mês anterior. O Índice de Preços de Importação (moeda do contrato) aumentou 2,3% em relação ao mês anterior. Os dados são do Governo do Japão.

*Tradução ID

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?