Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos ficam no azul

Data de criação:

access_time 23/12/2020 - 11:15

Data de atualização:

access_time 23/12/2020 - 11:15
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de ações da Ásia fecharam em campo positivo nesta quarta-feira (23). Os investidores analisaram os desempenhos dos demais mercados nas negociações de ontem.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em alta 0,86% aos 26.343 pontos. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,76% aos 3.382. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,74% a 2.281 e o ChiNext (ETF) ficou em alta de 1,11%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,33% aos 26.524. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,22% aos 2.833. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,95% aos 46.444. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,66% aos 6.643. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,96% a 2.759 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou em alta de 0,32% aos 14.223 pontos.

Na China, os sinais de que os legisladores deverão manter a política monetária afrouxada também em 2021 deram mais disposição para as compras.

O banco central chinês apontava para uma redução ao apoio econômico com menor oferta de crédito. Porém, os temores de que a decisão prejudicaria a recuperação da queda forte promovida pela pandemia e elevaria a inadimplência fez a autoridade monetária mudar de postura, conforme fontes para a Reuters.

No Japão, o índice Nikkei 225 fechou em alta, com os investidores atentos aos processos de vacinas contra o coronavírus. O índice também foi amparado pelas ações das empresas de tecnologia, com a Apple em destaque pelo interesse em entrar no mercado de carros elétricos.

Ao final, em toda a região, as atenções estão voltadas para o Reino Unido com a cepa mais contagiosa de COVID-19.

No Japão, o Banco Central apresentou a ata da última reunião de política monetária. A autoridade reafirmou que a maioria dos membros disse que a gama de medidas para aliviar as tensões exerce os efeitos esperados.

Um membro disse que os programas do BoJ são projetados para responder de forma flexível às várias mudanças no ambiente econômico. Outro disse que o banco central deve evitar a retirada prematura das medidas para lidar com os efeitos da pandemia. Todos os membros concordaram que o BoJ não deve hesitar em facilitar ainda mais, se necessário, o apoio econômico e aos cidadãos. A taxa de juros do Japão está em menos 0,1%.

*Tradução ID de agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?