Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos ficam no positivo com as empresas voltando para operações

Data de criação:

access_time 19/02/2020 - 09:40

Data de atualização:

access_time 19/02/2020 - 09:40
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados asiáticos ganharam tração nesta quarta-feira, depois que o Japão publicou dados de exportação, que apesar de queda ficaram melhores que o esperado. Além disso, grande número de empresas da China voltou a operar depois do longo período de paralisação por conta do coronavírus.

Ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em alta de 0,46% a 27.655 e o índice Shenzhen Composite ficou em queda de 0,55% a 1.846. O índice Xangai ficou em queda de 0,32% a 2.975. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,53% a 3.213. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,89% aos 23.400. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,43% a 7.144. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,07% a 2.210. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 1,05% aos 41.323. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,94% aos 11.758.

O número de novos casos de coronavírus na China diminuiu pelo segundo dia consecutivo, com 1.749 novas infecções e 136 novas mortes. Enquanto isso eleva o número total de casos na China continental para 74.185 e 2.004 mortes, novos casos caíram para menos de 2.000 nos últimos dois dias. Fora da China, são 27 países com casos de contaminação.

O Nikkei, apesar dos dados que mostram que as exportações caíram pelo 14º mês consecutivo, e um aviso de que o coronavírus provavelmente pesaria sobre a demanda nos próximos meses, o índice subiu e a contração foi menor que a esperada.

No Japão, o valor total dos pedidos de máquinas recebidos por 280 fabricantes que operam no país diminuiu 9,7% em dezembro em relação ao mês anterior, com ajuste sazonal. No período de outubro a dezembro, caiu 6,1% em relação ao trimestre anterior.

Os pedidos de máquinas do setor privado, excluindo os voláteis de navios e de empresas de energia elétrica, caíram 12,5% em dezembro, dessazonalizados, e caíram 2,1% no período de outubro a dezembro.

No período de janeiro a março, o número total de pedidos de máquinas diminuiu 5,3% e os pedidos do setor privado, excluindo os voláteis, tiveram queda de 5,2% em relação ao trimestre anterior, respectivamente. Essa previsão foi feita basicamente pela soma dos números de 280 fabricantes de máquinas. Os dados são do Governo Japonês.

No Japão, as exportações de janeiro ficaram em 6,058,12 milhões ienes, queda ante os 6,292,75 milhões de ienes de dezembro de 2019, queda de 3,7%. As importações somaram 6,282,22 milhões de ienes em janeiro ante os 6,399,94 milhões de ienes de dezembro, queda de 1,8%. A balança comercial ficou com déficit em 224,10 milhões de ienes, ante o déficit de 107,18 milhões de ienes de dezembro, saldo em +109,1%. Os dados são do Governo Japonês.

Na Austrália, o Índice de Preços Salariais (WPI), sazonalmente ajustado, aumentou 0,5% no trimestre de dezembro de 2019 e 2,2% ao longo do ano, segundo dados divulgados hoje pelo Departamento de Análises da Austrália (ABS).

Pela primeira vez desde 2012, os salários do setor privado cresceram a uma taxa mais rápida do que o setor público (0,5 em comparação a 0,4%), em termos originais.

Tradução ID com relatórios oficiais e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?