Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos ficam sem direção

Data de criação:

access_time 20/05/2021 - 10:35

Data de atualização:

access_time 20/05/2021 - 10:35
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de ações da Ásia ficaram misturadas nesta quinta-feira (20/05). Os investidores mantiveram as atenções nas operações dos demais mercados no dia anterior. Além disso, a China se comprometeu em estabilizar os preços das commodities.

Índices: o Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,50% aos 28.450. O Xangai, China, ficou em queda de 0,11% aos 3.506. O Shenzhen Composite ficou em alta de 0,12% aos 2.330 e o ChiNext (ETF) ficou em alta de 0,98%. O Sensex, bolsa de Mumbai, ficou em queda de 0,68% aos 49.564. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,19% aos 28.450. O índice Topix ficou estável aos 1.895. O XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 1,27% aos 7.019. O Kospi, bolsa de Seul, ficou em queda de 0,34% aos 3.162. O Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,56% aos 16.042. O FTSE Straits, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,18% aos 3.109.

A China trabalhará para garantir a oferta de commodities e manter seus preços estáveis, para manter um desempenho econômico estável. A decisão foi tomada nesta quarta-feira em reunião executiva do Conselho de Estado presidida pelo primeiro-ministro Li Keqiang.

Desde o início deste ano, devido a múltiplos fatores, especialmente a transmissão do aumento global dos preços, algumas commodities têm visto um aumento prolongado, com os valores de algumas variedades atingindo novos recordes.

Ainda na China, nesta sessão, os índices de energia e industrial caíram 3,2% e 3,3%, respectivamente.

No Japão, a bolsa de Tóquio subiu com as ações das empresas fabricantes de chips, que acompanharam as demais nas negociações nos Estados Unidos.

No país, o total dos pedidos de máquinas recebidos por 280 fabricantes diminuiu 30,0% em março em relação ao mês anterior (com ajuste sazonal). No período janeiro-março, os pedidos aumentaram 9,7% na comparação com o trimestre anterior.

Ainda no Japão, as exportações subiram 2,5% no comparativo mensal, com 6,856,257 ienes, ante os 6,690,422 ienes de março. As importações subiram 7,5%, com 6,791,078 ienes, ante os 6,318,507 ienes de março. A balança comercial ficou em 65,179 ienes, ante os 371,915 ienes de março, com queda de 82,5%. Os dados são com ajuste sazonal, conforme mostrou o Governo do Japão.

Entre as ações com ganhos no Japão ficaram as da Yamaha Motors, alta de 3,72%, as da Credit Saison, alta de 5,53%, as da Fuji Electric, alta de 2,96%, e as da Sharp, alta de 2,89%. Na contramão ficaram as ações da Tokio Marine, queda de 5,22%, as da NEXON, queda de 5,12%, as da Sumitomo Metal Mining, queda de 4,86%, as da Japan Steel, queda de 4,21%, e as da Kobe Steel, queda de 3,80%.

*Tradução ID da agência estatal da China Xinhua

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?