Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

(Correção) Mercados asiáticos caíram com foco no coronavírus

Data de criação:

access_time 10/02/2020 - 10:00

Data de atualização:

access_time 10/02/2020 - 10:00
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados asiáticos recuaram nesta segunda-feira. O otimismo desapareceu com a China registrando novos casos do coronavírus. O Banco do POvo da China está definindo novas regras de empréstimos para ajudar a amenizar os impactos econômicos.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,59% a 27.241 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,21% a 1.757. O índice Xangai ficou em alta de 0,51% a 2.890. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,58% a 3.163. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,60% aos 23.685. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,14% a 7.012. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 0,49% a 2.201. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,39% aos 40.979. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,33% aos 11.574.

A queda no número de novos casos do coronavírus bem que animou os mercados acionários no final da semana passada. Porém, novos casos da doença voltaram a crescer e, com isso, o temor de mais impactos econômicos também surgiram. O vírus segue pressionando os setores de  varejo, turismo, eletrônicos, transporte marítimo e outros.

A China registrou 3.062 novos casos de vírus nas últimas 24 horas, alta em 15% na comparação com a contagem de sábado. A cidade de Wuhan permanece fechada e impondo restrições de viagens para a população.

O Banco do Povo da China reafirmou mais empréstimos adicionais para proteger as empresas contra o golpe provocado pelo vírus, quando lojas, fábricas e outros negócios estão paralisados no país. O governo prometeu cortes de impostos e subsídios a agricultores, fabricantes de suprimentos médicos e outras empresas.

Em Tóquio, entre as ações ficaram as da Nissan Chemical Corp., alta de 3,51%, as da Honda Motor Co., alta de 2,87%, e as da Nippon Suisan Kaisha, alta de 1,81%. Na contramão ficaram as ações da Nikon Corp., queda de 5,75%, as da Amanda Holdings Co., queda de 5,52%, e as da Comsys Holdings Corp., queda de 5,35%.

Em Hong Kong, as ações da Hengan Internacional Group Co., subiram 4,89%, as da Geely Automobile Holdings subiram 1,48% e as da Sunny Optical Tecnology subiram 0,71%. Na contramão ficaram as da Galaxy Entertainment Group, queda de 2,65%, as da Sands China, queda de 1,92%, e as da China Unicom, queda de 2,17%.

Na China, a inflação do consumidor acelerou em janeiro com a demanda sazonalmente mais forte em torno do Ano Novo Lunar, superando as previsões dos economistas. O índice de preços ao consumidor subiu 5,4% no mês passado em relação ao ano anterior, após um ganho de 4,5% em dezembro. Os números são do Governo da China.

Os preços de fábrica começaram a subir novamente após cair em 2019, com o índice de preços ao produtor registrando um aumento de 0,1% no ano, em comparação com uma queda de 0,5% em dezembro. Informações importantes Os preços da carne de porco, um elemento-chave na cesta de CPI do país, aumentaram 116%.

Tradução ID de agências e relatórios internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?