Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos ficam sem direção com foco nos EUA

Data de criação:

access_time 29/05/2020 - 10:19

Data de atualização:

access_time 29/05/2020 - 10:21
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A bolsas asiáticas novamente fecharam sem direção. Os investidores mantiveram a cautela esperando pela declaração do presidente Donald Trump, marcada para hoje, sobre as medidas que deverá adotar para a China.

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,74% aos 22.961. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,22% a 2.852. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,95% a 1.786. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,18% aos 21.877. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,18%. O índice Kospi, Seul, ficou estável a 2.029. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,69% os 32.424. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou estável aos 10.942. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 1,63% aos 5.75%.

As tensões estão renovadas entre as duas potências, com o presidente Donald Trump acusando a China de contribuir para a disseminação precoce do coronavírus e membros do governo criticando as medidas para impor uma nova lei de segurança nacional em Hong Kong. A legislatura cerimonial da China aprovou o projeto de lei de Hong Kong, nesta quinta-feira, permitindo a substituição do governo local e controle das liberdades civis.

A medida e a maneira como está sendo promulgada levaram Washington a anunciar que não tratará mais Hong Kong como autônoma de Pequim.

Os ativistas em Hong Kong reclamaram que a lei vai minimizar as liberdades civis e pode ser usada para suprimir a atividade política.

O secretário de Estado, Mike Pompeo, disse essa semana que Hong Kong não é mais autônomo, abrindo a porta para possíveis sanções contra a China, com base na legislação aprovada no ano passado que apoia a autonomia. O Reino Unido, a Austrália e o Canadá aderiram aos Estados Unidos condenando a nova lei.

De volta aos mercados, em Tóquio, entre as ações com ganhos ficaram as da Daiichi Sankyio, alta de 8,52%, Toppan Printing, alta de 5,86%, Eisai Co, alta de 4,82%, e as da Fast Retiling, alta de 2,40%. Na contramão ficaram as ações da Nissan Motor, queda de 10,79%, Nikon Corp, queda de 9,09%, Mazda Motor, queda de 7,52%.

No Japão, a taxa anual de inflação ao consumidor em Tóquio, principal indicador da média nacional, subiu pela primeira vez em dois meses, com os preços de alimentos e bens de consumo domésticos subindo, segundo dados do Ministério de Assuntos Internos e Comunicações divulgados na sexta-feira.

O principal índice de preços ao consumidor de Tóquio (excluindo alimentos frescos) subiu 0,2% a / a em maio, superando a previsão mediana do MNI de um declínio de 0,2% a / a e a anterior queda de 0,1% a / a do mês.

Na região foram apresentados mais indicadores.

Tradução ID de relatórios oficiais e com a Associated Press

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?