Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos ficam sem direção com Kim Jong-un ameaçando

Data de criação:

access_time 23/12/2019 - 09:40

Data de atualização:

access_time 23/12/2019 - 10:40
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas asiáticas ficaram divididas nesta segunda-feira, em dia ajustes e baixa liquidez com o feriado de Natal e na carona dos resultados de Wall Street na sexta-feira (20). Entretanto, a Coreia do Norte voltou a preocupar nas ameaças com testes de mísseis e o radar nos Estados Unidos.

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 0,13% a 27.906 e o índice Shenzhen Composite ficou em queda de 0,74% a 1.700. O índice Xangai ficou em queda de 1,40% a 2.962. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou estável aos 23.821. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,05% a 3.214. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,46% a 6.785. O índice Kospi, Seul, ficou estável a 2.203. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,09% aos 41.642. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,53% a 12.022.

O dia na região asiática também foi marcado pela preocupação com a possibilidade de um teste de míssil vindo da Coreia do Norte, com o sinal ofuscando o progresso das relações comerciais entre Washington e Pequim. Enquanto isso, a China anunciou planos de abrir ainda mais seus mercados financeiros para empresas privadas.

A decisão do Governo da China em apoiar os financiamentos de empresas privadas, o Conselho de Estado ofereceu amplas promessas sobre a liberalização do mercado. Porém, a medida incluiu exortações às empresas privadas para “amar ardentemente o povo e o Partido Comunista” e “apoiar com entusiasmo os valores socialistas”.

No fim de semana, a Coreia do Norte disse que seu líder Kim Jong-un havia convocado uma reunião importante do Partido dos Trabalhadores norte-coreanos para definir medidas que possam reforçar a capacidade militar do país. A reunião ocorre em meio a especulações de que o Norte poderia abandonar a diplomacia com os Estados Unidos e lançar um míssil de longo alcance ou um foguete transportado por satélite se Washington não aceitar sua demanda por novos incentivos e salvar as negociações nucleares até o final do ano.

Enquanto isso, líderes da China, Japão e Coreia do Sul devem se encontrar em território chinês esta semana para discutir disputas comerciais, manobras militares e animosidades históricas, que envolvem também as duas Coreias.

A cooperação econômica e a ameaça nuclear de Kim são as principais questões que vinculam a “troika” do nordeste asiático. Embora não se esperem grandes avanços nas reuniões, a oportunidade de discussões cara a cara entre os antagonistas às vezes mútuos é considerada por si só significativa.

No Japão, o Índice de Atividade de Todas as Indústrias ficou em 103,6, uma queda de 4,3% em relação ao mês anterior. Por indústria, o índice de atividade terciária foi de queda em 4,6% m / m, o índice de produção industrial foi de queda em 4,5% e o índice de atividade de construção foi de queda em 0,3%. Os dados são do Governo Japonês.

Tradução ID com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?