Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos ficam sem direção esperando pelos EUA

Data de criação:

access_time 10/06/2021 - 10:42

Data de atualização:

access_time 10/06/2021 - 10:42
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados acionários da Ásia ficaram sem direção única nesta quinta-feira (10/06). Os investidores, com os demais, estavam atentos para os dados da inflação dos Estados Unidos e, ao mesmo tempo, aguardam as decisões dos bancos centrais nos próximos dias.

Índices: o Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou estável aos 28.738. O Xangai, China, ficou em alta de 0,54% aos 3.610. O Shenzhen Composite ficou em alta de 1,09% aos 2.442 e o ChiNext (ETF) ficou em alta de 2,91%. O Sensex, bolsa de Mumbai, ficou em alta de 0,69% aos 52.300. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,34% aos 28.738. O índice Topix ficou estável aos 1.956. O XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,44% aos 7.302. O Kospi, bolsa de Seul, ficou em queda de 0,26% aos 3.224. O Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 1,14% aos 17.159. O FTSE Straits, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,29% aos 3.162.

O setor de tecnologia ficou no destaque, depois que o governo dos Estados Unidos sinalizou apoio para empresas ante a disputa das chinesas. Por outro lado, o governo também deve deixar de banir os apps chineses, como Tik Tok e Wechat, com o avanço nas discussões sobre a guerra comercial dos dois países promovida pelo ex-presidente americano.

Na China, os dados de crédito ficaram mistos, com menor crescimento do crédito total do que esperado (1,9 trilhão de yuans, contra expectativa de 2,0 trilhões), mas com mais crescimento do crédito bancário (1,5 trilhão contra 1,4 trilhão esperado). Os números são do Banco do Povo da China.

No Japão, o índice Nikkei, bolsa de Tóquio, subiu depois da divulgação da inflação ao produtor.

O índice de preços de bens corporativos (CGPI), que mede os preços que as empresas cobram entre si por seus produtos, subiu 4,9% em maio em relação ao ano anterior, segundo dados do Banco Central do Japão. A previsão mediana do mercado era de uma alta de 4,5%.

Seguiu-se a um ganho de 3,8% em abril e foi o maior aumento anual desde setembro de 2008, quando um aumento global nos custos de alimentos e matérias-primas empurrou uma série de preços no Japão.

Entre as ações com ganhos em Tóquio ficaram as da Nippon Yusen, alta de 3,65%, as da Mitsui, alta de 3,19%, as da Sumitomo Dainippon, alta de 3,49%, as da Toto, alta de 3,26%, e as da Kobe Steel, alta de 2,23%. Na contramão ficaram as ações da Nippon Express, queda de 2,33%, as da Sekisui House, queda de 1,97%, e as da Konica Minolta, queda de 2,43%.

*Tradução ID de agências

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?