Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Mercados asiáticos subiram e PIB do Japão recua

Data de criação:

access_time 18/05/2021 - 10:18

Data de atualização:

access_time 18/05/2021 - 10:18
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de ações da Ásia subiram nesta terça-feira (18/05). Os investidores mantiveram o otimismo com as atenções para a pandemia de coronavírus e decisões no setor corporativo. A agenda asiática estava praticamente vazia, com apenas o Japão apresentando o PIB.

Índices: o Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 1,42% aos 28.406. O Xangai, China, ficou em alta de 0,32% aos 3.529. O Shenzhen Composite ficou em alta de 0,17% aos 2.324 e o ChiNext (ETF) ficou em queda de 0,76%. O Sensex, bolsa de Mumbai, ficou em alta de 1,24% aos 50.193. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 2,09% aos 28.406. O índice Topix ficou em alta de 1,54% aos 1.907. O XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,60% aos 7.066. O Kospi, bolsa de Seul, ficou em alta de 1,23% aos 3.173. O Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 5,16% aos 16.145. O FTSE Straits, bolsa de Singapura, ficou em alta de 2,04% aos 3.142.

Na China, os preços do petróleo elevaram as ações das empresas de energia e transporte. Porém, com os investidores ficaram atentos nas relações entre Pequim e Washington.

Ontem, os senadores americanos votaram por 86 votos a favor e 11 contra para abrir o debate sobre uma medida que autoriza mais de US $ 110 bilhões para pesquisa de tecnologia básica e avançada (5G), isso para rebater a pressão competitiva da China. Com isso, um índice que acompanha as empresas de semicondutores da China caiu 0,6%, escreveu a Reuters Internacional.

No Japão, as ações subiram com os investidores ignorando os dados que mostram que a economia voltou a entrar em contração.

A economia do Japão contraiu 1,3% no primeiro trimestre em relação ao trimestre anterior, resultado maior que as projeções em 1,1%. O deflator em -0,2% foi maior que o esperado.

As exportações líquidas reduziram 0,2% do PIB, em linha com as expectativas, e um bom lembrete de que o Japão não é uma economia impulsionada pelas exportações. As exportações líquidas contribuíram com uma média de 0,1% para o crescimento nos últimos quatro trimestres e nos últimos 20. Os dados são do Governo do Japão.

*Tradução ID com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?